Ciclo da Vida, Renovação da Saúde e Transformação da Alma.

Por Dr.MauroMontaury

Precisamos aproveitar este período de trégua entre guerras e calmaria, na reviravolta interna, para se sintonizar com A Grande Alma do Universo.

Estamos neste mês e em especial nesta lacuna do tempo sob influência da energia cósmica universal.

A sincronicidade se faz presente no coração dos homens e transforma nossa interioridade em giros quânticos fraternos em todos os seres vivos.

A ocorrência desta mágica eleva a consciência de todos os seres humanos e somente nas suas virtudes, nos seus pensamentos bondosos e compassivos ascendemos a um nível vibracional que faz toda humanidade se aproximar dos seres de luz.

LUZ É LUZ, luz é lucidez, é amor e transmuta, alquimiza, modela nosso interior pela energia mais profunda que transformar a tudo e a todos.

Sintonizemos com a Mãe Natureza e escutemos seu som primordial. Sua energia de luz, alimento e alento para o corpo e a alma e que elevam nosso espírito à criação.

Sejamos filhos da Terra e pais/mães da Natureza e sintonizemos com a vibração primordial para ascendermos a Consciência Universal.

Saúde e Paz.

Por Mauro Montaury Data:Dez 26, 2013 Comments : 0
 
 

Tanatologia-Banquete no funeral-Parte I

Por Dr.Mauro Montaury

O processo tanatológico das diferentes sociedades culturais civilizatórias perpetuam-se ao longo de toda a História da Humanidade.

Variações ocorrem na dependência da educação do povo e no grau do estado civilizatório em que se encontram.

Não devemos deixar de aqui prestar uma menção, que o grau afetivo emocional interfere na transição, período entre a morte e o além.

Os povos que apresentam cultura reencarnatória são representados por mais de 90% da Humanidade e variam esta crença na dependência  da diferente compreensão sociocultural deles este processo.

Podemos aqui lembrar comportamentos antropológicos distintos:

  • Indígenas idosos se recolhiam sozinhos nas matas antes da passagem.
  • Nas grandes travessias, em mudança de habitat tribal, na busca de alimentos, tribos deixam os idosos para o final da caravana e quando estes não conseguem cruzar grandes rios, eles aguardam  sozinhos esperando no local a sua morte.
  • Nas áreas frias, quando muito idosos e as grandes gelascas ocorrem, os idosos se expõem voluntariamente ao frio. Ocorre uma transição rápida igual aos grandes montanhistas expostos nas elevadas altitudes quando são surpreendidos pelos ventos gelados. Os alpinistas são surpreendidos pelo súbito aparecimento de neve, não dando tempo de se abrigar e de se salvar.

Achados arqueológicos mostram buracos funerais que pela disposição e artefatos analisados no local mostram que os anciãos se encontravam vivos e procuraram estes locais para sair da vida.

Locais altos e de difícil acesso onde idosos iam para se jogando partir para o além.

Temos povos que pela sua historia sócio-antropológica festejam a Vida, a chegada e a partida dela, baseado no Princípio da Criação. Nascer e morrer fazem parte de um processo maior e somos apenas uma nuvem na grande constelação.ANTROPOLOGIA SOCIAL.

Os povos baseados nas colheitas e no cultivo da terra entendem a materialidade humana e o significado maior da vida neste contexto.

A importância dos rituais de passagem está enraizada na Alma de cada povo específico. As festas da partida era assunto social,comentada  e esperado pelas pessoas dos povoados.

Na localidade fazia-se comida para receber os parentes distantes e se reunia todos os familiares ligados a aquela linhagem progenitora, genética e ancestral.

Se comemorava a vida em toda a sua plenitude sociológica.RITO DE PASSAGEM.

Hoje pelo correr da vida apressada da cidade transferimos o ritual de passagem às clínicas de repouso e aos hospitais e perdemos toda a nossa tradição cultural, perdemos nossa IDENTIDADE.

Ao se perder a identidade cultural esqueceu ou deturpamos o que é normal.

O que é normal é o encontro dos amigos e parentes de fora que no funeral se encontram ,são acolhidos pelos amigos,oram ,rezam,contam coisas engraçadas do defunto, choram, e a vigília do corpo é revezada por todos que se solidarizam pelo amigo (a), familiar ou conhecido que partiu e todos foram acolher e solidarizar.

Geralmente nestes povoados não existem antibióticos de última geração e não existem superbactérias e nem septicemia e o corpo não entra facilmente em decomposição.

Normalmente quando existe um banquete ele ocorre no dia e nunca depois dali é realizado ou comemorizado.

O banquete e a comemoração é pelos atributos do defunto e suas virtudes, fatos importantes, acontecimentos engraçados e memórias são lembradas.BANQUETE DA PALAVRA

PRECISAMOS PRESERVAR O RITO DE TRANSIÇÃO.

NOSSA CULTURA SOCIOLÓGICA E ANTROPOLÓGICA  DEVE SER PERPETUADA.

Por Mauro Montaury Data:Fev 2, 2013 Comments : 0
 
 

Movimento da Vida. Parte I

POR Dr.Mauro Montaury.

O movimento gerado pela idéia da Vida, o conceito de saúde com desenvolvimento pessoal deve ser baseado na Sustentabilidade do Ser Humano sadio, equilibrado, são, em si, no seu ambiente natural, no seu solo saudável e no mundo ao seu redor.

A qualidade de vida inicia com o cuidado com o alimento, na obtenção de alimentos não transgênicos, de fonte orgânica, isento de pesticidas, agrotóxicos ou outras substâncias tóxicas. Alimentos bom, limpo e justo. SLOW FOOD.

Devemos na medida do possível usar alimentos frescos com controle de qualidade e isento de impurezas. Os ciclos da natureza e os ritmos dos vegetais e dos animais precisam ser ecologicamente harmonizados. Podemos juntos ajudar a criar um mundo justo, pacífico, saudável e sustentável. CHOPRA.

Devemos gerar Comunidades Auto-Sustentáveis, com sistemas energéticos não poluidores, pessoas sadias, moradias confortáveis, ecológicas, vitalizantes e sistemas de cultivo orgânicos com AGRICULTURA BIODINÂMICA.AGRICULTURA BIOLÓGICA. , PERMACULTURA e SISTEMA AGRO-FLORESTAL. Pessoas que busquem crescimento espiritual, social e antropologicamente equilibrada. ECOVILLAS.

Cada vez mais existem doenças ligadas aos processos industriais e as formas de produção e que não respeitam o equilíbrio humano em toda sua plenitude. Quando rompem este tênue equilíbrio da saúde são geradoras de stress e doenças. Esta nova adaptação para esta nova forma de viver muda a forma de viver habitual. São chamadas de Doenças da Civilização .Dr. Buker Haus.

Não podemos nos confundir com a idéia preconcebida de que Saúde e Doença são polaridades e que podemos direcionar ou modificar elas só mudando parâmetros. É UM CONCEITO ERRADO. São situações diametralmente diferentes e que não podem ser conquistados com dinheiro ou com fármacos ou com psico-fármacos como na atualidade onde existem pílulas coloridas para cada tipo de emoções como:

  1. Ereção, (azul, sildenafila, bloqueador do canal de cálcio nos corpos cavernosos melhorando a ereção).
  2. Prazer, (não sei qual vai ser a cor, parece que vai ser rosa, usando o principio da ação do hormônio ocitocina e dando sensação de prazer e orgasmo).
  3. Felicidade, (produtos derivados dos comprimidos semelhantes ao êxtase droga, derivados de drogas alucinógenas).
  4. Sonhos (remédios indutores de sono artificial ou derivados benzodiazepínicos).
  5. Humor, (todos os produtos psicofarmacos usados como antidepressivos inibidores semi seletivos da serotonina).
  6. Tristeza (remédios antilágrimas, mas não solucionam os conflitos e nem dão fortaleza para enfrentá-los).

Lembrar a frase do Dr. Are Waerland que diz que não existem doenças e sim maus hábitos ou vícios, como: SAL, AÇÚCAR, TABACO, ÁLCOOL, ESTIMULANTES COMO CAFÉ, EXCESSO PROTEINA ANIMAL E PRODUTOS QUÍMICOS INDUSTRIAIS.

Ele vivia numa época próxima da 2ª Grande Guerra e  não existiam essa proliferação dos agrotóxicos. AGROTÓXICOS.

Não existia a hiperproliferação das substâncias químicas e nem a psicofarmacologia das drogas milagrosas desenvolvidas na 2ª GGM e nos seus estudos posteriores. Geraram os grandes conglomerados da indústria química e a total dependência dos países dependentes dessas tecnologias. Dr. Mathias Ruth. MOVIMENTO DA VIDA.

Os agrotóxicos, antes produtos químicos, eles foram usados e inventados nas guerras com finalidade de genocídio como fez Saddan Hussein na população curda no Norte do Iraque. Como sobraram das guerras, e estas tinham terminadas, a criação química excedente foi usada para matar as vidas dos microorganismos do solo e dos que estão junto dos alimentos e adoecemos juntos.

Lutemos pela Vida em toda sua infinita existência. Dr. Peter Prodoctor. Um homem, uma vaca, um planeta. UM HOMEM, UMA VACA, UM PLANETA

Por Mauro Montaury Data:Jan 20, 2013 Comments : 0
 
 

Câncer,Unidade,Imunidade e Integridade.Parte I

Por Dr.Mauro Montaury      

Câncer, o que é e o que significa ser possuidor de um câncer?

 

É coisa ruim?

 

É maligno ou benigno?

 

O que vem embutido com esta doença e qual estigma que adquiro com isto?

 

Preciso operar?

 

Fazer quimioterapia ou radioterapia?

 

Existem outras formas de tratamento menos agressivas e traumatizantes?  

 

Aguardamos todos os resultados de exames para decidir o que fazer?

 

Não fazer nada?

 

É preciso saber que só desenvolve câncer quem pode e não quem quer”.

 

O Ser Humano para adquirir um câncer qualquer necessita de uma imunossupressão para que isto ocorra. O Estado Mental próprio e Stress correspondente. Possuímos um sistema imunitário vigilante que diariamente entra em funcionamento nos protegendo contra nossas próprias células anômalas. Dr.Ralph Steinann-cels dendríticas.

 

O que aconteceu dentro de mim que um determinado grupo de células em determinado lugar do meu corpo se rebelou contra a minha unidade?

 

Quais as causas na minha saúde deficiente que criaram lacunas na minha defesa que propiciaram que um grupo de células cancerígenas proliferasse?

 

“Não acorde o câncer que está em você\” no You Tube-Dr. David Servan

 

“A cura do cancer\”Dr.Tullio Soncini

Precisamos voltar a ter uma saúde perfeita e sentirmos jovens. Acrescentar momentos de alegria e satisfação em viver. Sentir felizes e cheios de ânimo. Estarmos em total sensação de mansidão com consciência de estar em harmonia conosco e com tudo que nos rodeia.

 

O vitalismo como forma de incorporar as diversas energias no seu sistema e harmonizar com a Consciência Universal ou Mente Universal.Dr.GabrielCousens

 

 A homeopatia unicista através da busca pelo similium do paciente procurando a medicação no seu Reino da Natureza específico e individualizado.Dr.Rajan Sankaran

 

 Nova concepção na Gênese do Câncer do Dr. Ryke Geerd Hamer. Nova Medicina Germânica. ”Busque o câncer na célula e encontrará um erro de codificação do cérebro”. Revolucionou a forma nova de pensar no câncer e o instante que se resolve o conflito. Tudo cientificamente confirmado por Tomografia Cerebral, onde primeiramente se manifesta como Síndrome de Dirk Hamer (edema cerebral localizado do conflito mental), a Lei do Ferro do Câncer relacionando a localização do tumor no corpo com o tipo específico de conflito, a doença câncer, a resolução do problema e a paralisação da doença. Acabaram explicando as leucemias infantis, a epilepsia, o infarto do miocárdio, as crises de angina pectoris e as enxaquecas entre outras doenças através dos conflitos e as simpatotonias. Nova Medicina Germânica.

 

 

Por Mauro Montaury Data:Fev 27, 2012 Comments : 0
 
 

As doenças dos indígenas brasileiros após o processo de culturalização da civilização invasora.

Por Dr. Mauro Montaury.

 

O que aconteceu com a população indígena que absorveu a cultura de vida e alimentação da civilização invasora?

 

Os índios brasileiros são o primeiro povo autóctone do território brasileiro.

 

Eram catadores e depois se fixaram em alguns locais onde faziam o cultivo da mandioca e outros alimentos.

 

Pescavam e caçavam animais locais, alimentação de subsistência, e não consumiam produtos industrializados e nem agrotóxicos.

 

 

Não existia hiperfartura alimentar e nem carestia de alimentos para este povo. Quando a região ficava pobre para a sua sobrevivência, os sábios e os conhecedores da natureza escolhiam novo local de fartura alimentar e a tribo com toda sua história de vida se deslocavam para este novo lugar escolhido.

 

Saiam do local, exaurido em caça e pesca, deslocando-se para outra em abundância, deixando aquele para trás e que as grandes forças da mãe natureza regenerassem aquela região.  Não destruíam nada da mãe natureza e eram sabedores que suas vidas dela provinham.

 

Quando agora assisti no rádio, Hora do Brasil, programa que o jovem deixou de assistir, e que deveria tomar consciência da realidade e diversidade nacional, escutaria o cacique reclamando das doenças que nunca existiam na sua tribo e absorção da “Nova Cultura do Homem Branco” Indústria das Doenças, interferindo no seu viver saudavel, na sua ética, na sua alimentação indígena e no consumo de drogas antes não existentes.

 

Não tinham geladeira para guardar os defuntos congelados das carnes animais abatidas. Sabiam que o que matavam de animais não intoxicados, o povo todo tinha que consumir logo, não possuiam nem luz, nem geladeira. A geladeira, fruto do processo resultante da industrialização, gerador de uma indústria da riqueza do capitalismo e gerador de doenças no Ser Humano. A idéia do lucro pelo lucro infiltrou e envenenou seu mental.

 

Os indígenas consumiam a batata, a mandioca que plantavam e os alimentos que coletavam na natureza e mantinham-se num bom estado de saúde pescando e caçando. Acabavam sempre fazendo uma dieta com restrição calórica.

 

 

Com o processo da civilização invasora e o processo de culturalização os indígenas adquiriram seus hábitos alimentares e suas doenças como: gripe, tuberculose, sífilis, alcoolismo, lepra, artrose, hipertensão, diabetes mellitus, entre outras.

 

O índio foi adquirindo maus hábitos alimentares como: sal, açúcar, farinha branca, tabaco, álcool, drogas e o excesso de proteína animal, além da sua degradação ético moral dos degradados das civilizações  da Europa.

 

A civilização indígena não cristã não devia nada à tão evoluída civilização européia.

 

Hoje, temos 60 a 80% de todo Território Norte do Brasil das florestas sendo destruído para dar lugar ao extrativismo degradante e após, geralmente, no mesmo lugar, a pecuária vem a seguir.

 

Ocorreu contaminação da sua água potável proveniente dos rios.

 

Passaram 5 (cinco) séculos da Descoberta do Brasil e o nosso índio forte e varonil hoje é: obeso, hipertenso, artrítico e portador de doenças crônicas degenerativas diversas decorrentes ao uso e abuso do álcool, do tabaco, das drogas, dos produtos industriais e agrotóxicos.

 

Os centenários da Ilha de Okinawa não consomem nada industrializado ou processado. Eles ingerem 5 a 6 vezes dia frutas e verduras e 5 vezes cereais locais e consomem peixe 2 a 3 vezes por semana, da pesca local. São longevos e sadios.

 

Por Mauro Montaury Data:Abr 21, 2011 Comments :1
 
 

Higienismo

Por Carolina Abranches

 

Higienismo desintoxica o organismo. A alimentação criada no Japão também promete queimar gordura

 

 

 

 

Criado no Japão, o higienismo acredita que todas as doenças são causadas pelo acúmulo de toxinas no corpo e que os micro-organismos se aproveitam da debilidade do doente.

 

A filosofia higienista preza uma dieta baseada em alimentos crus, orgânicos e livre de agrotóxicos. Ela se baseia numa reeducação alimentar, visando o bom funcionamento do organismo.

 

 

 

. A dieta higienista visa a harmonização dos alimentos e evita o consumo de frutas doces com cítricas.

 

. Carne, leite, ovos, frituras, doces, enlatados, cigarro e bebida alcoólica não são bem vindos.

 

. Liberados no cardápio estão aveia, mel, granola, açúcar mascavo, peixe, folhas verdes e escuras, frutas com casca e limão para salgar a salada e os legumes, que devem ser cozidos no vapor.

 

 

 

No higienismo, frutas são ingeridas separadamente, meia hora antes das refeições.

 

Carboidratos nunca são servidos com proteínas. Misturá-los, segundo a filosofia, faz com que o bolo alimentar demore para ser digerido, fermentando carboidratos, apodrecendo proteínas e produzindo mais toxinas.

 

“Já as saladas são bem vindas com quase tudo, exceto frutas.

A refeição higienista é composta de uma farta salada e mais uma proteína ou um carboidrato.”

 

 

 

Por não contar calorias, as quantidades dos alimentos a serem ingeridas são livres. Portanto, não há um adepto do higienismo acima do peso. O que os higienistas seguem é tomar um copo d’água ao acordar, seguido de frutas até a hora o almoço.

 

Para desintoxicar, o almoço deve vir acompanhado de um farto prato de salada com as mais variadas folhas e brotos e outro de legumes cozidos no vapor e temperados com limão.

 

À noite, um prato de sopa de legumes é bem vindo.

 

 

* Fonte: BemStar

 

 

Por Mauro Montaury Data:Mar 9, 2011 Comments : 0
 
 

Tu Bishvat- A Árvore Humana.

Por Dr. Mauro Montaury

 

Antigamente, o povo judeu na Terra Santa comemorava o décimo quinto dia do mês hebraico de Shevat como o marco do início da nova estação dos frutos em Israel.

 

Esta época do ano marca o ponto médio do inverno quando a força do frio diminui, a maioria das chuvas do ano já caiu e a seiva das árvores começa a subir. Como resultado, os frutos começam a se formar.


Esta data até hoje é comemorada como o aniversário das árvores em Israel.


Da mesma forma como D’us faz com os seres humanos, no primeiro dia de Tishrei, Rosh Hashaná, D’us no dia 15 de Shevat determina qual a quantidade de frutos e folhas que cada árvore produzirá durante o ano; se crescerá satisfatoriamente, florescendo ou secará até morrer.


“Isto demonstra que o Criador do Universo e de todas as espécies, inclusive plantas e árvores, cuida de cada uma de Suas criaturas, determinando seu destino”.


As frutas crescidas antes desta data eram consideradas frutas “velhas”, e as que eram colhidas a partir desta data, eram recebidas como “novas”.

 

Esta distinção era essencial no tocante aos mandamentos da Torá de separar a terumá e o maasser - a separação dos frutos destinados aos cohanim e leviyim.


* A tribo de Levi não possuía campos ou pomares.


Seus membros dedicavam-se integralmente ao serviço Divino no Templo Sagrado e ao ensinamento do conhecimento de D’us ao povo. Por este motivo, a Torá ordena que uma certa parte da colheita deva ser outorgada a eles.


Atualmente o Rosh Hashaná La’ilanot, Ano Novo das Árvores, é comemorado através da recitação de bênçãos antes e após a degustação de frutos novos da estação, especialmente as espécies de frutas da Terra de Israel:



Azeitonas,

   

Tâmaras,

  

Uvas,

 

Figos,

  

Romãs,

  

e outras novas para que se possa recitar a bênção adicional, Shehecheyánu:


“Baruch Atá A-do-nai,

E-lo-hê-nu Mêlech haolam,

shehecheyánu vekiyemánu vehiguiánu lizman hazê”.

 

 

 

 

 

 

“Bendito és Tu, A-do-nai, nosso D’us,

Rei do Universo que nos deu vida e nos manteve e nos fez alcançar esta época”.


Ao provar dos novos frutos e recitar as bênçãos reconhecemos D’us como o Criador do mundo, da natureza e de tudo nela contido.


Uma analogia entre a árvore e o ser humano pode ser feita.


“Assim como a árvore está em constante crescimento,

também nós devemos crescer; do mesmo modo como produz seus frutos,

também devemos produzi-los”.


Em Tu Bishvat devemos renovar o crescimento pessoal, assim como as árvores começam a retirar a umidade e nutrientes da terra.


A raiz simboliza a conexão com a fonte, nossa fé; o tronco representa a parte principal que sustenta e representa o estudo da Torá e o cumprimento das mitsvot e o fruto está ligado com o resultado: a meta atingida, nossa influência positiva e contínua na preservação de nossos valores.


Devemos constantemente lembrar que acima da natureza encontra-se D’us “regando” seus filhos através do legado do estudo e prática da Torá, os verdadeiros recipientes de bênçãos para que possam crescer continuamente em todas as estações.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

* Fontes: BeitChabad, e,

              

              Mesillat Yesharim

 

Por Mauro Montaury Data:Fev 10, 2011 Comments :1
 
 

Escutemos a Natureza…Escutemos a Vida em tudo…Medicina da Vida. Parte I

Por Dr.Mauro Montaury.

 

O que está acontecendo nesta época do ano?

 

Quem morava no Rio de Janeiro lembra-se das chuvas do final do ano e/ou das primeiras semanas do ano. As ruas enchiam, os rios transbordavam, o morro e as casas deles desciam. Eram as enchentes de janeiro, as chuvas de verão .

 

Sempre os mesmos acontecimentos se repetiam. Era criança e não entendia porque os mesmos sofrimentos…

 

Os anos passam e as catástrofes agravam…

 

O que está acontecendo com as encostas/morros, os riachos, os rios, os mangues e os vales?

 

 

 

 

 

A Mata Atlântica está sendo invadido, seu ecossistema está sendo destruído.

Antes era tudo matas, animais, árvores, frutas, flores, cheiro da natureza, pássaros, riachos, cachoeiras, rios, o silêncio da natureza e as vozes da floresta,

os sons dos pássaros, a conversa das folhas e a melodia dos ventos.

 

Tudo mudou…

 

Onde andávamos nas trilhas fazendo montanhismo e respirando natureza, hoje, agora, passamos por meio de vilarejos, casas e ruas. Só os grandes picos, os lugares muito elevados, de difícil acesso , onde que fazia alpinismo se preservaram porque não existiam estradas e acesso, e se necessitava andar a pé no meio da mata. Andava-se 20 a 40 km por caminhos muitas vezes fechados pelo tempo e pelo mato , para se chegar ao local do início da escalada.

 

Não estamos respeitando a vida em toda sua extensão. O preço de não escutar a natureza.

 

Não respeitamos: 

  1. Os ciclos periódicos das estações: inverno, outono, verão, primavera
  2. Os ciclos periódicos das águas: chuvas e secas.
  3. Os ciclos do sol, da lua, dos planetas.
  4. Os ciclos de plantio e reposição de áreas verdes. Hoje plantam casas…

 

Esqueceram de respeitar a proporção árvores e mata que existia anteriormente e a preservação dos olhos d’água, córregos, riachos, cachoeiras, rios. Canalizam e põem para baixo da terra aquilo que corria solto no solo.

 

Não podemos deixar de esquecer que as arvores e matas absorviam pelas plantas e raízes todo este imenso volume de água e iriam formas nossos imensos depósitos de água doce. Quando se rompe este equilíbrio ocorrerá catástrofes no futuro.

 

Tudo no ecossistema ecologicamente equilibrado é necessário.

 

As águas ultrapassam os limites que os homens estipulam e os caminhos que lhe aprisionam…

 

Lembrar que as gotas das geleiras e das plantas no Alto do Tibete. serão o Rio Ganges, na Índia e todas suas Monções.

 

Escutemos a Natureza… Escutemos a Vida que dela brota…Respeitemos sua Destruição e Criação…

 

Os fluxos vitais de criação e destruição e nova vida brotando na Natureza.

 

Respeitemos seus Ciclos e Seus relógios Biológicos…

 

Sejamos Filhos da Terra e deixemos fluir sua Vida.Revolução pela vida. 

 

Construção ecológica, alimentação sadia, limpa e justa, ecologia equilibrada, educação para a Natureza e para a Vida, Vida em harmonia com a Natureza e Gaia, o Planeta Vivo.

Por Mauro Montaury Data:Jan 31, 2011 Comments : 5
 
 

Envelhecer é possível evitar? Parte 1

Por Dr. Mauro Montaury.

É possível não morrer?

É possível viver saudável?

É possível evitar as doenças crônicas degenerativas?

É possível não ter um câncer apesar da genética familiar favorecer, as condições  ambientais propiciarem e a atividade profissional predispor?

É possível evitar os acidentes vasculares agudos mortais ou gravemente sequelares?

Existe a possibilidade de se evitar a dor ou o sofrimento desnecessário?

Existe alguma espécie viva quase eterna ou eterna?

 

 

Não existe a vitamina milagrosa do Dr. X, nem o super órgão rejuvenescido do Dr.Franskestein, nem a nova fórmula milagrosa sintetizada pela nanobiotecnologia.

 

Existem algumas algas marinhas seculares que apresentam sistemas de regeneração quase perfeitos, evitando a intoxicação e a deficiência. Foram encontradas bactérias em lavas vulcanicas de altíssimas temperaturas,assim como virus e bactérias hibernando nas baixas temperaturas dos polos.

 

Nos extremos de temperatura incompatível com a sobrevivência humana encontrou-se vida.

 

 

“Não existe nada externo, que faça o que você pessoalmente e individualmente necessita realizar, e sim, apenas, o que só depende única e exclusivamente do nosso ser, o interior da nossa mente, das nossas emoções e do nosso corpo”.

 

 

Cuidado com os tratamentos de reposição hormonal, mesmo individualizados, para ambos os sexos e geradora de alta incidência de hipertensão arterial, dislipidemia, fenômenos flebíticos e embólicos e aumento de incidência de neoplasias.

 

Cuidado com os exames ou tratamentos com alta incidência de Raios X, radiação nos exames contrastados ou não como mamografias de repetição e aparecimento de câncer anos mais tarde.http://medicinasaudeevida.blogspot.com/2010/02/dr-seri-vaisman-mamografia-causa-cancer.html 

Existem outras formas de repor perda óssea sem terapia hormonal. Existem medicamentos não hormonais naturais que podem lhe ajudar muito. Informe com seu médico.

“Diz o conhecimento das tradições que os ensinamentos verdadeiros são os que intrinsecamente contêm sabedoria e se preservaram através dos séculos na pratica diária e na cultura antropológica social de cada povo.” 

 

Vejamos as populações que mantiveram os saberes dos seus ancestrais e evitaram alimentos industriais ou manipulados e usavam uma alimentação lacto vegetariana são povos longevos e com baixa ou nula presença de doenças crônica degenerativa como:

 

·         Hipertensão.

·         Diabetes mellitus.

·         Artrose.

·         Câncer.

·         Obesidade.

·         Doenças demências.

 

Estes povos mantiveram suas culturas tradicionais, conservaram sua antropologia social, seu ecossistema e os seus ritos.

Mantiveram o cuidado com a Vida em toda sua extensão seja:

·         Humana.

·         Antropológico social.

·         Meio ambiente.

·         Alimentação.

·         Exercícios aeróbicos diários.

 

A Vida está ligada ao Movimento, a atividade física e os cuidados com o seu veículo de permanência na Terra, o seu corpo físico.

Não esqueceram a íntima relação com a Natureza e esta energia que dela emana mantendo o espiritual do seu ser equilibrado.  

Mantiveram e conservaram a Ética do Cuidado.

Existem localidades no planeta Terra que pelas adversidades locais, pelas dificuldades de acesso, pela inviabilidade do lucro fácil e da impossibilidade da implantação do capitalismo industrial ficaram protegidas e mantiveram seus costumes e hábitos das tradições.Preservando sua boa carga genética de gens longevos. 

Alguns povos apresentam grande incidência de longevos, baixa ou nula ocorrência de doenças crônica degenerativa, vejamos:

·         Hunzas do Himalaia das Montanhas Krusch.

·         Gregos.

·         Adventistas no mundo todo, quando seguem os preceitos nutricionais da dieta lactovegetariana.Região da California.ASH e The New England Centenerian Study

·         Japoneses da Ilha de Okinawa.Okinawa Centenarian Study

·         Vilcabamba no Equador.

·         Caucaso soviético.

·         Veranopólis na Serra Gaúcha.

·         População do liitoral italiano da Sardenha,Sicília,Mantova,Pádua.Italian Centenarian Study

·         Islândia.

·         População da Nova Guiné.

 

LONGEVIDADE.

Vários outros povos com alimentação quase toda vegetariana e em locais com baixa penetração de alimentos industriais ou processados, mantiveram uma longevidade na sua população.

 Ocorre baixa incidência de doenças crônicas degenerativas. Idosos sadios que se mantiveram ativos com boa saúde mental e física, beneficiados por rede social sedimentadas.

Dieta com pouca gordura, muitos legumes e frutas e pouco sal. Comem pouca carne vermelha e fazem uso de frango,peixe e frutos do mar quando e onde é possível.

VIVEM MODERADAMENTE EQUILIBRADOS.

Fazem caminhadas e repousam 7 a 9 horas dia, além da sesta de 1 hora após almoço.

Convivem com familiares, amigos e na comunidade.

 Apresentam otimistas na fé e esperançosos da vida mantendo uma saúde espiritual e pessoal.

 São portadores de maior penetrância de gens de longevidade.

Encontramos neles baixa incidência de doenças graves neurológicas, baixa incidência de degeneração com características cognitivas ou alterações mentais ligadas as alterações de humor.

Por Mauro Montaury Data:Dez 31, 2010 Comments : 9
 
 

Ano Internacional da Biodiversidade-Medicina da Vida

                                         2010 é o Ano Internacional da Biodiversidade.

 Por Dr.Mauro Montaury

                                                

SEJA VIVO.

                                                                  

                                                                     PENSE VIVAMENTE.

 

                                                       A maior riqueza do Planeta é a Vida.

No Planeta milhões de espécies diferentes mantêm uma profunda ligação entre si.

 

Seja no Reino Mineral, No Reino Vegetal ou No Reino Animal.

Ajude a manter a Vida em Movimento.

 

                                                 Você é o Elo Consciente e Transformador.

Por Mauro Montaury Data:Nov 21, 2010 Comments :1