Regressão da Aterosclerose e Doença Crônica Degenerativa-Medicina da Vida. Parte I.

Por Dr. Mauro Montaury.

 

 

Há mais de 10 anos comecei me preocupar e saber se era realmente possível a regressão da aterosclerose.

 

 

Muitos artigos foram publicados no mundo e inúmeras fórmulas apresentadas. Ganha-se muito dinheiro vendendo a eterna juventude. 

 

 

Acontecia um movimento mágico onde as sociedades médicas apresentavam resultados milagrosos na melhoria clínica e esqueciam as atrocidades iatrogênicas maiores com comprometimento de órgãos vitais que eram esquecidas ou deixadas em segundo plano.Exemplos aconteceram nas guerras dos primeiros séculos da Era Cristã e o desenvolvimento da medicina na ocasião. Semelhante situação ocorreu na 1ª e 2ª Grande Guerra Mundial e as atrocidades médicas em campos de concentrações não se pode esquecer. A medicina se desenvolveu com as barbares da guerra. Medicina de Guerra.HISTORIA DA MEDICINA.

 

 

Verdadeiras fórmulas alquímicas eram inventadas com o intuito de retirar metais pesados dos indivíduos ou desentupir vasos, tudo com uma visão mecanicista galênica do ser humano máquina e os vasos sanguíneos tubos que precisam ser desobstruídos. Cada vez mais perdura estes pensamentos no século atual.

 

 

 

A energia vital era totalmente ignorada. HOMEOPATIA e Física Quântica.Conceito de Vitalismo comprovado pela Física Quântica.

 

 

Trocou-se o nome das sociedades médicas, mas leão com pele de ovelha não vira ovelha. A sociedade médica de tal nome vira a nova sociedade médica de novo nome.Ganha-se muito dinheiro com as doenças e as drogas novas e a promessa da eterna beleza, juventude e saúde. O paciente com doença aterosclerótica, que é a população geral, carente de recursos financeiros não dispõe de acesso a este processo extremamente honeroso. Funciona?

 

 

O que de prático e curativo a Medicina da Vida com sua orientação alimentar, hábitos saudáveis, atividade física regular, higiene social e medicação homeopática unicista  podem fazer pelo individuo buscador da sua cura?POSIÇÃO DA ADA 

 

 

Vi muitos pacientes com doenças crônicas degenerativas obterem curas para suas doenças, mudando hábitos alimentares e se curando com medicação única homeopática, quando este possuia força vital curável, apesar do grau avançado da sua doença crônica degenerativa.

 

 

Mas vi uma infinidade de pacientes que não mudaram seus maus hábitos e progressivamente vi morrerem com o cigarro na mão, o copo de cachaça na outra ou comendo toda ordem de proteínas animais, gorduras saturadas, sal, açúcar ou  consumindo inúmeras drogas.Vários adquiriram doenças decorrentes do local da sua moradia, hábitos higiênicos insalubres ou das suas péssimas condições de trabalho. MAUS HÁBITOS DE SAÚDE E ESTILO DE VIDA.

 

 

A última foi um paciente com aterosclerose coronariana, com dislipidemia grave tomando sinvastatina, comendo gorduras saturadas, ingesta de bebidas alcóolicas, sedentário, com insuficiencia coronariana e cardíaca indo fazer transplante de cels tronco para músculo cardíacolesionado,por biopsia de sua crista ilíaca, enxerto autólogo. Inúmeras internações em Unidade de Terapia Intensiva. Não fez seu dever de casa cuidando da sua saúde e  transferiu para o outro ( o médico)  resolver o que ele nunca fez pela sua saúde.TERAPIA COM CELS TRONCO e RISCOS.

 

 

É possível modificar esta realidade? Vi na prática que só existe uma verdade e esta passa pela Alimentação Lacto Vegetariana Crua, Meditação, Atividade física vitalizante aeróbica, andar, bicicleta, hidroginástica, ou atividade física vitalizante  tipo: Tai-chi Chuan, Yoga, Meditação. Associado a Medicina Homeopática Unicista, tudo junto e ao mesmo tempo.A vida sendo vivida em toda sua amplitude.

 

 

Pacientes com dislipidemias que ao mudarem hábitos alimentares e todos os recursos citados acima mudaram o curso de suas doenças. Infiltração gordurosa hepática(esteatose) leve desapareceu e quando esteatose moderada tornou-se leve com a melhora da função hepática e tornaram-se animados, vitalizados e felizes.

 

 

Todas as citações de melhoras e de cura têm prontuário numerado confirmando.

 

 

A cura não depende do médico, este é apenas um administrador de cura quando esta ocorre, a persistência e a manutenção dela depende única e exclusivamente da constância, da persistência, da vontade  e da consciência do paciente.

 

 

Na Homeopatia, na progressão do tratamento, o paciente vai aprendendo a Conhecer-se e identificar:

  • sensações.
  • ilusões.
  • modalidades.
  • temperamento.
  • gênio.
  • humor.
  • características.
  • localizações.
  • modalidades.

 

Suas particularidades definirá seu remédio no Reino específico da Natureza (Vegetal, Animal e Mineral ) onde encontrará sua similitude individual.

Por Mauro Montaury Data:Jun 13, 2011 Comments :1
 
 

As doenças dos indígenas brasileiros após o processo de culturalização da civilização invasora.

Por Dr. Mauro Montaury.

 

O que aconteceu com a população indígena que absorveu a cultura de vida e alimentação da civilização invasora?

 

Os índios brasileiros são o primeiro povo autóctone do território brasileiro.

 

Eram catadores e depois se fixaram em alguns locais onde faziam o cultivo da mandioca e outros alimentos.

 

Pescavam e caçavam animais locais, alimentação de subsistência, e não consumiam produtos industrializados e nem agrotóxicos.

 

 

Não existia hiperfartura alimentar e nem carestia de alimentos para este povo. Quando a região ficava pobre para a sua sobrevivência, os sábios e os conhecedores da natureza escolhiam novo local de fartura alimentar e a tribo com toda sua história de vida se deslocavam para este novo lugar escolhido.

 

Saiam do local, exaurido em caça e pesca, deslocando-se para outra em abundância, deixando aquele para trás e que as grandes forças da mãe natureza regenerassem aquela região.  Não destruíam nada da mãe natureza e eram sabedores que suas vidas dela provinham.

 

Quando agora assisti no rádio, Hora do Brasil, programa que o jovem deixou de assistir, e que deveria tomar consciência da realidade e diversidade nacional, escutaria o cacique reclamando das doenças que nunca existiam na sua tribo e absorção da “Nova Cultura do Homem Branco” Indústria das Doenças, interferindo no seu viver saudavel, na sua ética, na sua alimentação indígena e no consumo de drogas antes não existentes.

 

Não tinham geladeira para guardar os defuntos congelados das carnes animais abatidas. Sabiam que o que matavam de animais não intoxicados, o povo todo tinha que consumir logo, não possuiam nem luz, nem geladeira. A geladeira, fruto do processo resultante da industrialização, gerador de uma indústria da riqueza do capitalismo e gerador de doenças no Ser Humano. A idéia do lucro pelo lucro infiltrou e envenenou seu mental.

 

Os indígenas consumiam a batata, a mandioca que plantavam e os alimentos que coletavam na natureza e mantinham-se num bom estado de saúde pescando e caçando. Acabavam sempre fazendo uma dieta com restrição calórica.

 

 

Com o processo da civilização invasora e o processo de culturalização os indígenas adquiriram seus hábitos alimentares e suas doenças como: gripe, tuberculose, sífilis, alcoolismo, lepra, artrose, hipertensão, diabetes mellitus, entre outras.

 

O índio foi adquirindo maus hábitos alimentares como: sal, açúcar, farinha branca, tabaco, álcool, drogas e o excesso de proteína animal, além da sua degradação ético moral dos degradados das civilizações  da Europa.

 

A civilização indígena não cristã não devia nada à tão evoluída civilização européia.

 

Hoje, temos 60 a 80% de todo Território Norte do Brasil das florestas sendo destruído para dar lugar ao extrativismo degradante e após, geralmente, no mesmo lugar, a pecuária vem a seguir.

 

Ocorreu contaminação da sua água potável proveniente dos rios.

 

Passaram 5 (cinco) séculos da Descoberta do Brasil e o nosso índio forte e varonil hoje é: obeso, hipertenso, artrítico e portador de doenças crônicas degenerativas diversas decorrentes ao uso e abuso do álcool, do tabaco, das drogas, dos produtos industriais e agrotóxicos.

 

Os centenários da Ilha de Okinawa não consomem nada industrializado ou processado. Eles ingerem 5 a 6 vezes dia frutas e verduras e 5 vezes cereais locais e consomem peixe 2 a 3 vezes por semana, da pesca local. São longevos e sadios.

 

Por Mauro Montaury Data:Abr 21, 2011 Comments :1
 
 

Relacionamento Amoroso na Terceira idade.Envelhecimento Parte I

Por Dr.Mauro Montaury.

O processo de relacionamento amoroso sensual, sexual, de crescimento emocional, relacional, faz parte do ser evolutivo que passa pela terceira idade.

Não esquecer que é uma oportunidade de crescimento pessoal e afetivo.

Precisamos romper os estigmas relacionados à população em geral, e os filhos em especial quanto ao idoso:

· O idoso não é assexuado.

· O idoso tem vontade própria.

O trabalho durante a vida toda pode ajudar para viver uma velhice com dignidade.

Quando o geronto deu mostra de sua capacidade de autocontrole no domínio da sua vida, deve ser estimulado a exercê-la até o final da vida.

Um problema muito sério é que o idoso tem que ter consciência dos seus direitos e dispor dele legal quando quiser que prevaleçam, mesmo que contrária a vontade dos filhos.Estatuto do Idoso.

O idoso pode dispor da sua renda como quiser e não como os filhos desejam.

A renda do idoso é fruto do seu trabalho e temos que informar que não é posse dos filhos que apresentaram dificuldades financeiras ou insucessos na vida profissional e pessoal.

O livre arbítrio do idoso na decisão fundamentada das suas posses é desejo seu.

É preciso reservar algumas economias quando o idoso precisar tratamento específico e lazer.

A verdade sempre prevalece e o bom senso também.

Autor: Mauro Montaury de Souza

Por Mauro Montaury Data:Mar 27, 2011 Comments : 11
 
 

Dra kirstine Nolfi - Tratamento com alimentos crus.

Por Dra. Kirstine Nolfi - Famosa Médica dinamarquesa, falecida aos 66 anos em 1967, descreveu suas experiências com os alimentos vivos em uma pequena brochura traduzida para varias línguas e está disponível em português na TAPS.

Antes que me desse conta da importância dos alimentos crus, minha atitude era exatamente a mesma de outros médicos — tratava dos sintomas da doença, sem pensar na prevenção. No futuro, encontrar meios de prevenção, muito mais do que fazemos hoje, deveria ser dever da profissão médica ao invés de tentar curar quando já é tarde.

Adotei uma alimentação exclusivamente crua porque fiquei gravemente doente. Tive câncer da mama. A doença, é claro, havia sido precedida de má nutrição e maus hábitos durante doze anos de formação hospitalar.

Inicialmente, descobri um pequeno nódulo no seio direito. Cansada e sem ânimo, não prestei muita atenção ao nódulo até cinco semanas mais tarde. Descobri que estava do tamanho de um ovo de galinha. Havia crescido aderindo à pele — um sinal característico do câncer. Como médica, estava suficientemente bem informada para não querer me submeter ao tratamento geralmente usado nesses casos. Lembrei, então, de passar para uma alimentação 100% vegetariana crua.

Parti em busca da natureza.

Vivi durante algum tempo em uma pequena ilha. Tomava banhos de sol durante várias horas por dia, dormia em uma barraca e tomava banhos de mar. Alimentei-me exclusivamente de frutas e hortaliças cruas. Mais tarde, introduzi esse hábito de vida no sanatório Humlegaarden.

“Após dois meses, comecei a melhorar.

O nódulo foi regredindo e minhas forças voltaram.

Aparentemente, estava curada e me sentia muito bem.”

Após um ano de boa saúde — persuadida pelo Dr. Hindhede — tentei voltar, a título de experiência, a uma alimentação vegetariana que incluía 50% de alimentos vegetais cozidos. Não deu outra. Após alguns meses, comecei a sentir uma dor aguda no seio onde o tumor havia aderido à pele. A dor aumentou e percebi que o câncer estava crescendo novamente. O câncer voltara devido aos alimentos cozidos. Mais uma vez, voltei à alimentação crua. A dor diminuiu rapidamente e eu me senti menos cansada.

Como médica, achei que deveria usar a experiência adquirida para ajudar outras pessoas doentes. Sob minha iniciativa, foi criada uma sociedade anônima que comprou a propriedade Humlegaarden. Bem adequada ao meu propósito, ela foi adaptada como sanatório onde todos os doentes e funcionários seguiam somente a alimentação crua.

* Alimentos crus são vivos

Por que será que a alimentação 100% crua exerce um efeito tão benéfico para as pessoas que a adotam?

Em primeiro lugar, isso ocorre porque o alimento cru é um alimento vivo, tal como nos oferece a Natureza. É somente a planta, com suas finas folhas verdes abertas, que consegue absorver a luz solar e transformá-la em raízes, tubérculos, frutas e sementes. Por isso, tanto homens como animais usam as plantas para proporcionar energia solar ao seu organismo.

Chamo os alimentos crus de alimentos vivos, ao contrário dos alimentos cozidos, que considero alimentos mortos.

Devemos cuidar para que os alimentos não contenham substâncias que contrariam a química do organismo, para que os resíduos não fiquem retidos por muito tempo e apodreçam no intestino grosso. Portanto, o melhor alimento é totalmente natural — não passou por nenhum tipo de processamento.

É preciso acrescentar, o alimento vivo é muito mais fácil de digerir.

Os alimentos crus ajudam e fortalecem o organismo de todas as maneiras porque contêm enzimas, elementos vivos básicos e vitaminas que se combinam de forma natural, dissolvendo e eliminando as toxinas. Toda pessoa sensata percebe que nossa alimentação atual é muito destrutiva. É a causa mais comum e mais grave das doenças físicas e psicológicas e da degeneração constitucional do organismo.

Precisamos buscar hábitos de vida e uma alimentação mais saudáveis, se queremos viver melhor agora e no futuro. Não podemos nos contentar, fazendo concessões, quando a vida e a saúde estão em jogo. Precisamos adotar a única solução correta — uma alimentação 100% crua.

As frutas secas não são tão boas quanto as frescas.

Na primavera de 1946, recebemos algumas frutas secas (uvas-passa, tâmaras, ameixas e figos). Pensei que não faria mal incluí-las na minha alimentação, mas estava errada. Essas frutas haviam sido tratadas com produtos químicos a fim de preservá-las e dar-lhes melhor aspecto. Depois de consumi-las durante três ou quatro meses, comecei, de repente, a sentir dores violentas no tecido da mama e descobri um pequeno nódulo no seio direito, no exato lugar do câncer anterior. Voltei a comer apenas alimentos frescos e crus e o nódulo desapareceu.

Os alimentos frescos crus contêm o máximo valor nutritivo, não podendo ser aumentado nem melhorado. Esquentar, secar, armazenar, fermentar e conservar reduz e destrói o valor. As hortaliças cozidas têm pouco sabor; é preciso fazer alguma coisa para torná-las saborosas. Misturamos vários alimentos, acrescentamos sal, açúcar, condimentos e manteiga.

Também removemos o germe e o farelo do trigo, polimos o arroz, refinamos o açúcar, descascamos as frutas e as batatas e raspamos as cenouras. Carnes, peixes, ovos e queijos fornecem um grande excesso de proteína animal.

Bebidas à base de café, cacau e chá preto contêm estimulantes tóxicos. Além disso, conservamos alimentos com produtos químicos — ácido benzóico, ácido salicílico, salitre, ácido bórico e ácido sulfúrico — para que não deteriorem e tenham boa aparência. Também o uso de medicamentos está aumentando cada vez mais. Tomamos calmantes, soníferos, sedativos e laxantes — todos eles produtos tóxicos estranhos ao organismo.

* Resultado da alimentação viva

Vamos abordar por um instante a maneira como essa alimentação age sobre diversas doenças. A ação depende da idade do doente, da intoxicação, do enfraquecimento e da deterioração de sua constituição, devido a uma alimentação nociva e maus hábitos.

De forma geral, haverá um efeito curativo sobre quase todas as doenças — quer sejam adquiridas durante nossa vida ou devidas a predisposições hereditárias — se o organismo estiver razoavelmente bem e conseguir se beneficiar de uma alimentação exclusivamente crua.

Percebi, também, que os doentes que se submetem totalmente à alimentação crua perdem, aos poucos, a vontade de fumar.

Quanto mais cedo adotarmos uma alimentação vegetariana crua, mais cedo seus benefícios se farão sentir. As mulheres que adotam uma alimentação crua durante a gravidez, sentem-se melhor. O parto é rápido e quase sem dor; o bebê sadio, forte e ágil, coopera.

Os alimentos crus produzem leite bom e abundante, durante todo o primeiro ano, se a mãe continuar comendo cru. Após poucos meses, ela pode começar a dar para o bebê um complemento de frutas e hortaliças, raladas na quantidade que ele pede. Entretanto, nunca deve dar frutas e hortaliças ao mesmo tempo — sempre separadamente.

Mesmo a criança que ainda não nasceu pode ser prejudicada pela má alimentação da mãe, porque é nutrida pelo seu sangue enfraquecido. Assim, existem condições que favorecem a doença e o nenê já nasce fraco.

Após o parto, sua saúde deteriora, principalmente quando o leite materno é de qualidade e quantidade insuficientes. Dessa forma, no mundo civilizado, as crianças nascem fracas — algumas mais, outras menos — e a humanidade entra em estado de degeneração.

E quanto aos idosos ou aos doentes que adotaram essa alimentação tarde demais? O que podem esperar? Todos podem se beneficiar da alimentação vegetariana crua.

As pessoas precisam ser pacientes, mostrar energia e estar muito motivadas. Precisam, também, descansar bastante, principalmente no início. Os primeiros dias podem ser sofridos, até que estejam acostumados com essa alimentação e hábitos de vida diferentes. Logo, porém, sentirão uma melhora. O intestino funcionará regularmente, o que para muitos é um grande estímulo.

A alimentação crua exerce seu efeito benéfico sobre todas as formas de reumatismo e artrite reumática, quando essas doenças ainda não atingiram um estado muito avançado. Constatamos o efeito benéfico sobre as doenças causadas por excesso de ácido úrico, sobre a psoríase, enxaqueca, pedras na vesícula, rins e bexiga. Quase todas as doenças da pele são curadas com bastante rapidez. Queda de cabelo, seborréia e caspa desaparecem. As infecções melhoram ou são curadas.

A alimentação totalmente crua também pode beneficiar casos de câncer e de patologias em estágio terminal. Pode aliviar a dor e prolongar a vida. Quando o câncer é tratado a tempo, é possível obter uma remissão durante muitos anos. O tratamento com alimentos crus precisa ter início assim que o câncer é detectado e precisa ser seguido 100%.

Seria muito importante que os médicos adquirissem mais conhecimento nesse campo. Médicos dinamarqueses e estrangeiros ficaram por algum tempo em Humlegaarden e puseram sua experiência em prática com seus clientes.

* A alimentação viva na prática

Para concluir, algumas palavras sobre as condições práticas e o uso diário de alimentos crus. É indispensável que os alimentos sejam orgânicos. Por isso, sentimos a necessidade de introduzir uma horta orgânica.

“Da mesma forma, o solo, muito adubado com adubo químico, corre o risco de se tornar tão doente quanto o homem — com excesso de acidez, superalimentado, dele brotam plantas doentes, inadequadas para o consumo humano.”

Cerca de mil doentes passam por Humlegaarden a cada ano. Tanto os doentes como os funcionários vivem exclusivamente de alimentos não cozidos e, de acordo com nossa experiência, uma dieta de transição não é necessária.

A alimentação varia de acordo com as estações do ano e consiste de três refeições diárias. Fazemos uma refeição de frutas pela manhã e à noite e uma refeição de hortaliças ao meio-dia. Nunca misturamos frutas e hortaliças.

Se o estado dos doentes permitir, os alimentos crus são servidos inteiros; se não, são ralados pouco antes da refeição. Uma vez ralados ou cortados em pequenos pedaços, os alimentos perdem seu teor de vitaminas. Os alimentos precisam ser cuidadosamente mastigados, de preferência até que se tornem uma papa. Mesmo aqueles que forem ralados devem ser bem ensalivados.

Os oleaginosos fornecem um bom complemento. A refeição vegetal consiste de folhas verdes, raízes e tubérculos. Todas as frutas são ingeridas com casca. No caso de doenças como gastrite e úlcera gástrica, é preciso tomar cuidado no início.

Se a alimentação crua for associada a hábitos de vida saudáveis, muita coisa vai melhorar. As doenças, pouco a pouco, serão prevenidas. A obesidade se tornará uma raridade.

* A vida será alegre para as pessoas saudáveis

O trabalho doméstico vai se reduzir pela metade — e as horas de lazer adicionais serão uma fonte de alegria para todos.

Veremos mais pessoas com o corpo esbelto, o porte ereto, o andar flexível, a pele fresca, os dentes brancos e fortes, e os cabelos vigorosos.

Com o corpo saudável, nossos pensamentos negativos se transformarão em pensamentos positivos e contribuirão para o grande progresso cultural que o mundo aguarda ansiosamente.

Só então valerá a pena viver!

* Fonte: TAPS - Temas Atuais na Promoção da Saúde

Por Mauro Montaury Data:Mar 13, 2011 Comments : 9
 
 

Higienismo

Por Carolina Abranches

 

Higienismo desintoxica o organismo. A alimentação criada no Japão também promete queimar gordura

 

 

 

 

Criado no Japão, o higienismo acredita que todas as doenças são causadas pelo acúmulo de toxinas no corpo e que os micro-organismos se aproveitam da debilidade do doente.

 

A filosofia higienista preza uma dieta baseada em alimentos crus, orgânicos e livre de agrotóxicos. Ela se baseia numa reeducação alimentar, visando o bom funcionamento do organismo.

 

 

 

. A dieta higienista visa a harmonização dos alimentos e evita o consumo de frutas doces com cítricas.

 

. Carne, leite, ovos, frituras, doces, enlatados, cigarro e bebida alcoólica não são bem vindos.

 

. Liberados no cardápio estão aveia, mel, granola, açúcar mascavo, peixe, folhas verdes e escuras, frutas com casca e limão para salgar a salada e os legumes, que devem ser cozidos no vapor.

 

 

 

No higienismo, frutas são ingeridas separadamente, meia hora antes das refeições.

 

Carboidratos nunca são servidos com proteínas. Misturá-los, segundo a filosofia, faz com que o bolo alimentar demore para ser digerido, fermentando carboidratos, apodrecendo proteínas e produzindo mais toxinas.

 

“Já as saladas são bem vindas com quase tudo, exceto frutas.

A refeição higienista é composta de uma farta salada e mais uma proteína ou um carboidrato.”

 

 

 

Por não contar calorias, as quantidades dos alimentos a serem ingeridas são livres. Portanto, não há um adepto do higienismo acima do peso. O que os higienistas seguem é tomar um copo d’água ao acordar, seguido de frutas até a hora o almoço.

 

Para desintoxicar, o almoço deve vir acompanhado de um farto prato de salada com as mais variadas folhas e brotos e outro de legumes cozidos no vapor e temperados com limão.

 

À noite, um prato de sopa de legumes é bem vindo.

 

 

* Fonte: BemStar

 

 

Por Mauro Montaury Data:Mar 9, 2011 Comments : 0
 
 

Tu Bishvat- A Árvore Humana.

Por Dr. Mauro Montaury

 

Antigamente, o povo judeu na Terra Santa comemorava o décimo quinto dia do mês hebraico de Shevat como o marco do início da nova estação dos frutos em Israel.

 

Esta época do ano marca o ponto médio do inverno quando a força do frio diminui, a maioria das chuvas do ano já caiu e a seiva das árvores começa a subir. Como resultado, os frutos começam a se formar.


Esta data até hoje é comemorada como o aniversário das árvores em Israel.


Da mesma forma como D’us faz com os seres humanos, no primeiro dia de Tishrei, Rosh Hashaná, D’us no dia 15 de Shevat determina qual a quantidade de frutos e folhas que cada árvore produzirá durante o ano; se crescerá satisfatoriamente, florescendo ou secará até morrer.


“Isto demonstra que o Criador do Universo e de todas as espécies, inclusive plantas e árvores, cuida de cada uma de Suas criaturas, determinando seu destino”.


As frutas crescidas antes desta data eram consideradas frutas “velhas”, e as que eram colhidas a partir desta data, eram recebidas como “novas”.

 

Esta distinção era essencial no tocante aos mandamentos da Torá de separar a terumá e o maasser - a separação dos frutos destinados aos cohanim e leviyim.


* A tribo de Levi não possuía campos ou pomares.


Seus membros dedicavam-se integralmente ao serviço Divino no Templo Sagrado e ao ensinamento do conhecimento de D’us ao povo. Por este motivo, a Torá ordena que uma certa parte da colheita deva ser outorgada a eles.


Atualmente o Rosh Hashaná La’ilanot, Ano Novo das Árvores, é comemorado através da recitação de bênçãos antes e após a degustação de frutos novos da estação, especialmente as espécies de frutas da Terra de Israel:



Azeitonas,

   

Tâmaras,

  

Uvas,

 

Figos,

  

Romãs,

  

e outras novas para que se possa recitar a bênção adicional, Shehecheyánu:


“Baruch Atá A-do-nai,

E-lo-hê-nu Mêlech haolam,

shehecheyánu vekiyemánu vehiguiánu lizman hazê”.

 

 

 

 

 

 

“Bendito és Tu, A-do-nai, nosso D’us,

Rei do Universo que nos deu vida e nos manteve e nos fez alcançar esta época”.


Ao provar dos novos frutos e recitar as bênçãos reconhecemos D’us como o Criador do mundo, da natureza e de tudo nela contido.


Uma analogia entre a árvore e o ser humano pode ser feita.


“Assim como a árvore está em constante crescimento,

também nós devemos crescer; do mesmo modo como produz seus frutos,

também devemos produzi-los”.


Em Tu Bishvat devemos renovar o crescimento pessoal, assim como as árvores começam a retirar a umidade e nutrientes da terra.


A raiz simboliza a conexão com a fonte, nossa fé; o tronco representa a parte principal que sustenta e representa o estudo da Torá e o cumprimento das mitsvot e o fruto está ligado com o resultado: a meta atingida, nossa influência positiva e contínua na preservação de nossos valores.


Devemos constantemente lembrar que acima da natureza encontra-se D’us “regando” seus filhos através do legado do estudo e prática da Torá, os verdadeiros recipientes de bênçãos para que possam crescer continuamente em todas as estações.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

* Fontes: BeitChabad, e,

              

              Mesillat Yesharim

 

Por Mauro Montaury Data:Fev 10, 2011 Comments :1
 
 

Escutemos a Natureza…Escutemos a Vida em tudo…Medicina da Vida. Parte I

Por Dr.Mauro Montaury.

 

O que está acontecendo nesta época do ano?

 

Quem morava no Rio de Janeiro lembra-se das chuvas do final do ano e/ou das primeiras semanas do ano. As ruas enchiam, os rios transbordavam, o morro e as casas deles desciam. Eram as enchentes de janeiro, as chuvas de verão .

 

Sempre os mesmos acontecimentos se repetiam. Era criança e não entendia porque os mesmos sofrimentos…

 

Os anos passam e as catástrofes agravam…

 

O que está acontecendo com as encostas/morros, os riachos, os rios, os mangues e os vales?

 

 

 

 

 

A Mata Atlântica está sendo invadido, seu ecossistema está sendo destruído.

Antes era tudo matas, animais, árvores, frutas, flores, cheiro da natureza, pássaros, riachos, cachoeiras, rios, o silêncio da natureza e as vozes da floresta,

os sons dos pássaros, a conversa das folhas e a melodia dos ventos.

 

Tudo mudou…

 

Onde andávamos nas trilhas fazendo montanhismo e respirando natureza, hoje, agora, passamos por meio de vilarejos, casas e ruas. Só os grandes picos, os lugares muito elevados, de difícil acesso , onde que fazia alpinismo se preservaram porque não existiam estradas e acesso, e se necessitava andar a pé no meio da mata. Andava-se 20 a 40 km por caminhos muitas vezes fechados pelo tempo e pelo mato , para se chegar ao local do início da escalada.

 

Não estamos respeitando a vida em toda sua extensão. O preço de não escutar a natureza.

 

Não respeitamos: 

  1. Os ciclos periódicos das estações: inverno, outono, verão, primavera
  2. Os ciclos periódicos das águas: chuvas e secas.
  3. Os ciclos do sol, da lua, dos planetas.
  4. Os ciclos de plantio e reposição de áreas verdes. Hoje plantam casas…

 

Esqueceram de respeitar a proporção árvores e mata que existia anteriormente e a preservação dos olhos d’água, córregos, riachos, cachoeiras, rios. Canalizam e põem para baixo da terra aquilo que corria solto no solo.

 

Não podemos deixar de esquecer que as arvores e matas absorviam pelas plantas e raízes todo este imenso volume de água e iriam formas nossos imensos depósitos de água doce. Quando se rompe este equilíbrio ocorrerá catástrofes no futuro.

 

Tudo no ecossistema ecologicamente equilibrado é necessário.

 

As águas ultrapassam os limites que os homens estipulam e os caminhos que lhe aprisionam…

 

Lembrar que as gotas das geleiras e das plantas no Alto do Tibete. serão o Rio Ganges, na Índia e todas suas Monções.

 

Escutemos a Natureza… Escutemos a Vida que dela brota…Respeitemos sua Destruição e Criação…

 

Os fluxos vitais de criação e destruição e nova vida brotando na Natureza.

 

Respeitemos seus Ciclos e Seus relógios Biológicos…

 

Sejamos Filhos da Terra e deixemos fluir sua Vida.Revolução pela vida. 

 

Construção ecológica, alimentação sadia, limpa e justa, ecologia equilibrada, educação para a Natureza e para a Vida, Vida em harmonia com a Natureza e Gaia, o Planeta Vivo.

Por Mauro Montaury Data:Jan 31, 2011 Comments : 5
 
 

Envelhecer é possível evitar? Parte 1

Por Dr. Mauro Montaury.

É possível não morrer?

É possível viver saudável?

É possível evitar as doenças crônicas degenerativas?

É possível não ter um câncer apesar da genética familiar favorecer, as condições  ambientais propiciarem e a atividade profissional predispor?

É possível evitar os acidentes vasculares agudos mortais ou gravemente sequelares?

Existe a possibilidade de se evitar a dor ou o sofrimento desnecessário?

Existe alguma espécie viva quase eterna ou eterna?

 

 

Não existe a vitamina milagrosa do Dr. X, nem o super órgão rejuvenescido do Dr.Franskestein, nem a nova fórmula milagrosa sintetizada pela nanobiotecnologia.

 

Existem algumas algas marinhas seculares que apresentam sistemas de regeneração quase perfeitos, evitando a intoxicação e a deficiência. Foram encontradas bactérias em lavas vulcanicas de altíssimas temperaturas,assim como virus e bactérias hibernando nas baixas temperaturas dos polos.

 

Nos extremos de temperatura incompatível com a sobrevivência humana encontrou-se vida.

 

 

“Não existe nada externo, que faça o que você pessoalmente e individualmente necessita realizar, e sim, apenas, o que só depende única e exclusivamente do nosso ser, o interior da nossa mente, das nossas emoções e do nosso corpo”.

 

 

Cuidado com os tratamentos de reposição hormonal, mesmo individualizados, para ambos os sexos e geradora de alta incidência de hipertensão arterial, dislipidemia, fenômenos flebíticos e embólicos e aumento de incidência de neoplasias.

 

Cuidado com os exames ou tratamentos com alta incidência de Raios X, radiação nos exames contrastados ou não como mamografias de repetição e aparecimento de câncer anos mais tarde.http://medicinasaudeevida.blogspot.com/2010/02/dr-seri-vaisman-mamografia-causa-cancer.html 

Existem outras formas de repor perda óssea sem terapia hormonal. Existem medicamentos não hormonais naturais que podem lhe ajudar muito. Informe com seu médico.

“Diz o conhecimento das tradições que os ensinamentos verdadeiros são os que intrinsecamente contêm sabedoria e se preservaram através dos séculos na pratica diária e na cultura antropológica social de cada povo.” 

 

Vejamos as populações que mantiveram os saberes dos seus ancestrais e evitaram alimentos industriais ou manipulados e usavam uma alimentação lacto vegetariana são povos longevos e com baixa ou nula presença de doenças crônica degenerativa como:

 

·         Hipertensão.

·         Diabetes mellitus.

·         Artrose.

·         Câncer.

·         Obesidade.

·         Doenças demências.

 

Estes povos mantiveram suas culturas tradicionais, conservaram sua antropologia social, seu ecossistema e os seus ritos.

Mantiveram o cuidado com a Vida em toda sua extensão seja:

·         Humana.

·         Antropológico social.

·         Meio ambiente.

·         Alimentação.

·         Exercícios aeróbicos diários.

 

A Vida está ligada ao Movimento, a atividade física e os cuidados com o seu veículo de permanência na Terra, o seu corpo físico.

Não esqueceram a íntima relação com a Natureza e esta energia que dela emana mantendo o espiritual do seu ser equilibrado.  

Mantiveram e conservaram a Ética do Cuidado.

Existem localidades no planeta Terra que pelas adversidades locais, pelas dificuldades de acesso, pela inviabilidade do lucro fácil e da impossibilidade da implantação do capitalismo industrial ficaram protegidas e mantiveram seus costumes e hábitos das tradições.Preservando sua boa carga genética de gens longevos. 

Alguns povos apresentam grande incidência de longevos, baixa ou nula ocorrência de doenças crônica degenerativa, vejamos:

·         Hunzas do Himalaia das Montanhas Krusch.

·         Gregos.

·         Adventistas no mundo todo, quando seguem os preceitos nutricionais da dieta lactovegetariana.Região da California.ASH e The New England Centenerian Study

·         Japoneses da Ilha de Okinawa.Okinawa Centenarian Study

·         Vilcabamba no Equador.

·         Caucaso soviético.

·         Veranopólis na Serra Gaúcha.

·         População do liitoral italiano da Sardenha,Sicília,Mantova,Pádua.Italian Centenarian Study

·         Islândia.

·         População da Nova Guiné.

 

LONGEVIDADE.

Vários outros povos com alimentação quase toda vegetariana e em locais com baixa penetração de alimentos industriais ou processados, mantiveram uma longevidade na sua população.

 Ocorre baixa incidência de doenças crônicas degenerativas. Idosos sadios que se mantiveram ativos com boa saúde mental e física, beneficiados por rede social sedimentadas.

Dieta com pouca gordura, muitos legumes e frutas e pouco sal. Comem pouca carne vermelha e fazem uso de frango,peixe e frutos do mar quando e onde é possível.

VIVEM MODERADAMENTE EQUILIBRADOS.

Fazem caminhadas e repousam 7 a 9 horas dia, além da sesta de 1 hora após almoço.

Convivem com familiares, amigos e na comunidade.

 Apresentam otimistas na fé e esperançosos da vida mantendo uma saúde espiritual e pessoal.

 São portadores de maior penetrância de gens de longevidade.

Encontramos neles baixa incidência de doenças graves neurológicas, baixa incidência de degeneração com características cognitivas ou alterações mentais ligadas as alterações de humor.

Por Mauro Montaury Data:Dez 31, 2010 Comments : 9
 
 

Preguiça-A Mãe das Doenças-Medicina da Vida-Parte I

Por Dr. Mauro Montaury.

 

A preguiça, a falta de ânimo (desalmado sem alma, sem vontade de fazer nada e nem de mudar o que acontece). É o mal do século ,gerador e perpetuador do modus operante de viver.

 

O que acarreta na vida saudável do indivíduo:

 

Falta de higiene em todos planos: físico, emocional, afetivo, pessoal, espiritual.

 

Falta de cuidados com sua saúde diariamente.

 

Falta de Ética do Cuidado.

 

 

Falta de uma orientação alimentar saudável e reeducação alimentar.

 

Falta de fazer feira, de ir direto ao campo, ao produtor que preparou a terra e fornece o alimento com carinho e atenção. (Usam o mais rápido e mais cômodo indo aos supermercados onde encontramos alimentos processados, industrializados, transgênicos, utilizaram agrotóxicos e processaram eles com irradiação ionizante nuclear), adoecemos mais ainda.

 

Falta de vontade de trabalhar, preguiça e desânimo para o trabalho.De onde vem a preguiça?

 

Falta de virtudes pessoais e ocorre a proliferação de vícios que geram a grande população de doenças decorrente ao uso de: tabaco, álcool, drogas, por exemplo. A indústria da doença ganhando com o fornecimento do hábito escravo do consumo compulsivo de drogas medicamentosa lícita ou ilícita, industrial ou alimentar.

 

Falta de atividade física e exercícios com o corpo.Xô,preguiçoso!

 

Falta de estimulação do corpo com ativação, por exemplo, pela manhã ao tomar banho ducha mais fria. Caso não consiga iniciar com água morna e posterior fria.Motivo: estimulação via reação, do sistema neuro muscular e hormonal para o dia que se inicia.

 

FALTA DE ESTMULAR SUA ALMA QUE ACOSTUMOU COM SUA PREGUIÇA.

 

Falta de sol e todos os seus benefícios para o homem e a terra. Difunde-se o medo dos raios de sol e se acomoda para não tomar sol. Não absorve as vitaminas D desdobradas pelo raios solares e sua falta, acarreta deficiência de absorção de cálcio corretamente pelo corpo.Medos dos cânceres dependentes de raios solares.

 

Falta de ânimo, aparecimento da tristeza, desânimo para viver e enfrentar as dificuldades diárias. Quando ocorre frustração por não conseguir resolver uma situação como queria se desanima.

 

Falta de equilíbrio nas diferentes áreas de sua atuação e incapaz de resolver conflitos.

 

FALTA DE EQUILÍBRIO NO VIVER. Apresenta instabilidade emociona.

 

Falta de QI Emocional para lidar com os pequenos problemas pessoais, familiares e profissionais.

 

FALTA DE SABER SEU PAPEL na sua vida, na sua família, no seu trabalho, na sua comunidade, no seu bairro, no seu município, no seu país e na Terra. Problema de identidade.

 

Falta estruturação geral do Ser Humano voltando ele para si mesmo. Falta de autoconsciência.Levante-se já da cadeira e ganhe anos de vida.

 

Falta de responsabilidade pessoal com sua vida e sua saúde, transferindo para os outros ela, e geralmente para os mais próximos: parentes, amigos e colegas de trabalho. Atualmente transferindo para o Estado (Judicialização da Saúde).

 

FALTA DE CIDADANIA, falta de se perceber como cidadão num contexto social e inserido na polis com participação e atividade na vida.

 

 

 

 

FALTA DE COMUNHÃO COM A ENERGIA PRIMORDIAL. Necessitamos permanecer alguma parte do nosso tempo diário não fazendo nada,isto não é preguiça.Parando o cérebro,parando os pensamentos,as emoções,as sensações e desconectando de conceitos ,preconceitos e dogmas.PRECISAMOS MEDITAR, da forma de cada um aprendeu ,independente da Escola Ocidental ou Oriental que vamos seguir.

 

PAZ NO ENCONTRO DE SI MESMO.

Por Mauro Montaury Data:Out 20, 2010 Comments : 4
 
 

Revolução pela Vida-Medicina da Vida.Parte I

Por Dr. Mauro Montaury.

“A vida pede vida, quer vida e só consegue sobreviver se a vida for o centro do viver.” Citação de M²S.

O ser humano paga um preço muito caro pela revolução industrial, a produção de manufaturados desenfreada e sua decorrência direta a sociedade capitalista. Vejamos o que acontece no dia a dia:

Produção de bens de consumo em massa tornando o ser humano robótico ou quando deixa de produzir a meta do dono da fábrica é trocado pelo maquinário robótico substitutivo daquele homem.

Produção de drogas farmacoativas sintéticas. A indústria da doença, aquele que mantém o ser humano escravo dos remédios. Sabemos que toda droga é uma droga e por mais tempo que esteja sendo usada, é uma nova droga sintética. Lembrar que diferente das substâncias naturais vasoativas/venenos/alcalóides que a Mãe Natureza produz para diferentes espécies que existem nos Reinos, Ela fez e readaptou estas substâncias durante séculos ou milênios de existência e desenvolveu funções específicas para alimentação, defesa, ataque, por exemplo. CENTRO ECOLÓGICO.

Produção de alimentos em monoculturas através de agronegócios sabe -se que esta monocultura seleciona germes, parasitas e destrói o equilíbrio ecológico local ,além de, não proporcionar rodízio de culturas e nem permitir a regeneração morfobioquímica deste solo exaurido.PERMACULTURA.

Produção em monocultura com uso de agrotóxicos, pesticidas selecionados para uso específico para determinada produção de grãos,cereais ou extração de óleos vegetais por conglomerados industriais.AGROTÓXICOS.

Produção e cultivo de sementes transgênicas com material genético modificado por DNA recombinante e a falta de estudo longitudinal destes tipos de alimentos e sua influência no sistema de reprodução celular humano ao longo das décadas de sua vida. (aumento de má formação congênita e aumento de células cancerosas em diferentes órgãos ).

Produção industrial de muitos e diversos alimentos de origem animal, vegetal e para sua conservação/durabilidade são usados: conservantes, acidulantes, produtos químicos, temperos, corantes, produtos cheirosos. Finalidades: conservação, durabilidade, estimulação visual/gustativa e sensorial palativa.

Produção de ALIMENTAÇÃO E RADIAÇÃO IONIZANTE usada em diversos produtos de origem animal e vegetal com intuito de exportação, diminuição de microorganismos bacterianos/viróticos/fúngicos, diminuição de larvas e vermes parasitários e diminuição da putrefação e fermentação.

Produção de alta incidência de Câncer com relação direção com determinados alimentos.CÂNCER E ALIMENTAÇÃO.

REVOLUÇÃO PELA VIDA é o retorno do Homem ao campo.

Retorno ao campo, a volta do povo fazer feiras, nos bairros,nas comunidades agrícolas.

Produção de frutas, verduras, cereais, oleaginosas, flores, produtos de uma agricultura sustentável, produtos vindo direto do campo ou produzido por eles, sem a intermediação ou intervenção dos revendedores ou atravessadores.

Recuperação da produção dos pequenos agricultores, agricultura sustentável, conquista da cidadania do campo, resgate da cultura alimentar orgânica, integral e sadia.Movimento Francês ACCUEIL PAYSAN. Um dia na casa do agricultor.

Recuperação da tradição de produção de alimentos não industrializados ou processados. Política para ajudar a manter o homem no campo e desenvolvimento das pequenas comunidades agrícolas.INSTITUTO ÂNIMA.

Desenvolvimento de movimento tipo SLOW FOOD, onde a cultura, tradição e produção sustentável com dignidade, justiça social e alimentos saudáveis. A política do BOM. JUSTO, LIMPO. Participação na produção e no consumo. Os co-produtores,os consumidores atentos e informados, uso de técnicas de produção que garantem a biodiversidades dos produtos locais. Alimentos com qualidade e saúde alimentar.

Agricultura sustentável, da terra à mesa e da mesa a terra.

Turismo ético e inclusivo. Agroturismo no Município de  Santa Rosa de Lima, em Santa Catarina.

Por Mauro Montaury Data:Set 5, 2010 Comments : 23