Vida Verde. Parte II.

POR Dr.Mauro Montaury de Souza.

É possível modificar nossos vícios alimentares ou modificar alimentos tão contaminados que são vendidos nos centros agrícolas da periferia das cidades, vindas dos seus cinturões verdes que usam substâncias tóxicas na produção de alimentos?

A grande revolução alimentar é o uso de vegetais de uso não habituais e que por serem resistentes as pragas convencionais e de alto teor nutricional enriquecem o prato do brasileiro. Existem bons trabalhos do Ministério da Agricultura e de diferentes universidades.Segue no Post.

O Ministério da Agricultura distribuiu orientação das hortaliças não convencionais para estimular a produção de alimentos habituais e ampliar o leque da alimentação não contaminada e de fáceis cultivo.PDF HORTALIÇAS NÃO CONVENCIONAIS.

Existem dezenas de hortaliças não convencionais. As mais conhecidas elencamos abaixo:

inhame, taió, taraxacum (dente de leão), serralha, capuchinha, chicória, bertalha, azedinha, araruta, almeirão de árvore, chuchu de vento, ora por nobis,beldroega, capiçoba, etc

VÍCIO ALIMENTAR DOS MESMOS ALIMENTOS

Temos um vício alimentar usando aproximadamente somente cento e cinquenta(150) espécies de plantas, quando existem mais de 27.000 plantas que se pode usar para alimentação.

Diferente de VÍCIO ALIMENTAR (do vício de comer-alimento como droga,compulsão,comer rejeitar para não engordar,etc).

A FAO- Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura orientou a população geral ao consumo de insetos devido a sua rica fonte proteica e concomitantemente reduzindo a disseminação de besouros e grilos, pragas tão graves para a produção de alimentos, além de preservar o ecossistema do solo. O objetivo da organização é o problema da fome no mundo e o não uso de agrotóxicos.

As plantas alimentares usadas diariamente para consumo, não passam de 20 por dia e cerca de 100 no período de um ano. São mais de 27 mil  espécies que podem ser usadas para nos alimentar.

Os alimentos básicos da America do Sul, lado brasileiro, eram: mandioca, batatas, inhames, taiós, tubérculos alimentares. No lado andino o representante básico era o milho, o “maiz”, isto é, grandes grãos de milho e com mais de 300 tipos diferentes. Com a Expansão Europeia das Grandes Navegações o povo português e o espanhol trouxeram nas caravanas o arroz e o trigo, difundindo este cultivo em solo tão nutritivo, mas não preparado para este cultivo como o meso oriente e oriental na Europa e Ásia.

Não podemos esquecer das caixas de bacalhau português e dos países escandinavos, que chegavam para a Coroa Portuguesa no período escravagista. sustento da Classe Imperial Portuguesa. Com a sobra das partes não nobre e desprezadas dos porcos o povo africano transformou num prato famoso junto com o feijão a nossa feijoada brasileira.

Passado 5 (cinco) séculos, mais que 50% das espécies alimentares consumidas em solo brasileiro são de origem da Europa e da Ásia. No seu cultivo aqui (arroz e trigo), gastamos bilhões de dólares na preparação do solo e no uso de sementes modificadas e no consumo de toneladas de pesticidas.LINK BRASIL CONSUMO AGROTÓXICOS.

O Brasil importa mais de 60% de todo trigo consumido e cerca de 90% dele é produzido na região sul.

As modificações genéticas e hibridizações dos cereais: milho, trigo, soja foram feitas na década de 50 e 60 nos centros de pesquisa agrícola da serra gaúcha com tecnologia americana.LEMBRAR DO PAI DO TRIGO DO RS. DR. IVAR BECKMANN e as mutações genéticas do trigo e as doenças geradas.

O trigo adoeceu e gerou na população : obesidade, diabetes mellitus, dislipidemias, artroses, demências, intolerância ao glúten e doenças afins, além de doenças autoimunes -BARRIGA DE TRIGO.

ALIMENTO - MATO SAUDÁVEL E NUTRITIVO.

Podemos aprender a comer mato saudável, nutritivo, de baixo custo e sem agrotóxicos. Gerando uma dieta saudável e geradora de saúde alimentar na dieta do brasileiro. O cultivo desses alimentos não precisa de agrotóxicos o que por si só não gera doenças e nem economia escravizantes e dependente das inúmeras industrias farmacoquímicas. É UMA REALIDADE NACIONAL.

O conceito vida verde, viva verde vida, trás a mesa do brasileiro alimentos com saúde e com nutrientes riquíssimos. Vida com qualidade. PLANTAS ALIMENTÍCIAS NÃO CONVENCIONAIS.

Por Mauro Montaury Data:Jul 31, 2016 Comments : 0
 
 

Vida Verde. Parte I.

Por Dr. Mauro Montaury de Souza.

A vida surge da vida. Da morte não surge a vida. Não existe vida sem movimento da vida. MOVIMENTO DA VIDA. DR.MATHIAS RATH.

A Medicina da Vida se preocupa e orienta pela educação da vida, dos bons hábitos alimentares, atividade física regular, vida contemplativa / reflexiva. Uma vida sem o stress urbano sem a civilização da morte e das doenças advindas pós-industrialização com produção e consumo maciço de produtos químico-tóxicos para a saúde humana.

Aprendemos com as grandes civilizações que preservaram o conhecimento das suas tradições. Guardaram e divulgaram seus ensinamentos boca ouvido perpetuando sua sabedoria. Apresentaram poucas doenças, evitaram os seus vícios e maus hábitos e desenvolveram talentos nas suas comunidades. São as civilizações que possuíam colegiado dos anciãos e desenvolveram antropologia social e cultural voltada para sua evolução de vida.

Com o conceito Vida Verde tentamos minimizar os milhares de agrotóxicos usados abundantemente e que assassinam a saúde do povo brasileiro e da população mundial.

O agricultor desinformado e/ou teimoso e ignorante( falta de conhecimento), acredita que se não usar agrotóxicos não vai ter produção e lucro. Não sabe mais produzir alimentos sem venenos, sem agrotóxicos, sem toxicidade, sem doenças, sem cânceres para si e seus familiares. Existe toda uma população que consome seus produtos agrícolas.

Não sabem produzir sem sementes transgênicas, sem sua economia local atrelada as megas industriais farmacoquímicas imperadoras e fornecedoras mundiais de adubos e defensivos agrícolas, geradoras de doenças globais. É a industria de doenças e mortes escravizantes do ciclo pesticidas-doenças, remédios e mortes.Criada pela Revolução Verde.

A Medicina deveria se preocupar com as doenças geradas no trabalho com agrotóxicos em um século de vida de uma família como: doenças psico comportamentais (insônia, irritabilidade, cefaleias, depressão, agressividade, consumo de drogas, suicídios, homicídios, distimias, alterações cognitivas e comportamentais); cânceres de sistema vitais e locais como: pulmão, rins, intestino, boca, medula, linfático, óssea, sistema digestivo, cérebro, fígado, órgãos reprodutivos. Eram gerados em uma vida doenças com caracteres genéticos comprometendo sua descendência hereditária. Sua Biografia Humana.

As doenças mentais cérebro degenerativas são diretamente relacionadas e causadas pelos agrotóxicos tipo demências vasculares e Alzheimer, Doença de Parkinson e Síndrome de Korsakoff acrescida com etilismo e drogas.Esta população apresenta grande consumo de alcoólicos e de drogas.

Existem soluções para este sério problema mundial?

O que se pode fazer na atualidade?

Primeira resposta: Um indicativo prático o filme ” Um homem, uma vaca, um planeta”. Experiência do engenheiro agrônomo biodinâmico antroposófico australiano Dr. Peter Prodoctor

Segunda resposta: Temos que aprender com a maior vivência nutricional e experiência alimentar mundial que ocorreu no período da Primeira Grande Guerra, na Dinamarca. Este país sofreu um boicote econômico que bloqueou entrada de alimentos, produtos industriais e cereais. Encarregaram o Dr. Mikkel Hindhede de realizar o programa de racionamento de alimentos. Ficou registrado a menor incidência de mortes por doença na história do país: 34% a menos que a média dos dezoito anos anteriores, fato que torna difícil não fazer também uma relação entre a dieta vegetariana e a diminuição na taxa de mortalidade.SOLUÇÃO FOME MUNDIAL.

Com o boicote econômico e alimentar, os cereais que alimentariam os animais de corte e abate, foram usados para alimentar o povo dinamarquês. Nesta década posterior ao boicote econômico comprovou-se a menor incidência de doenças apopléticas (infarto agudo do miocárdio, acidentes vasculares cerebrais) e de doenças crônicas degenerativas. Melhorou a saúde do povo escandinavo.

As doenças podem ser facilmente controladas e evitadas, o que dificultam são nossos vícios ou maus hábitos e o ganho secundário da indústria da doença e da morte (alimentos irradiados, conservantes, pesticidas, agrotóxicos, hormônios, metais pesados, radiação eletromagnética).Falta política de não violência.

É possível modificar nossos vícios alimentares ou modificar alimentos tão contaminados que são vendidos nos centros agrícolas da periferia das cidades, vindas dos seus cinturões verdes que usam substâncias tóxicas na produção de alimentos?

Hortaliças não convencionais.

O Ministério da Agricultura distribuiu orientação das hortaliças não convencionais para estimular a produção de alimentos habituais, nutricionais e ampliar o leque da alimentação não contaminada e de fácil cultivo.PDF. MANUAL HORTALIÇAS NÃO CONVENCIONAIS.

Por mauro montaury de souza Data:Dez 3, 2015 Comments : 0
 
 

Despensa Vegetariana

Por Dr. Mauro Montaury

Segue um lista de produtos para sua despensa. Alguns produtos podem ser comprados mensalmente, outros semanalmente.

Na hora de organizar na despensa, lembre-se o que comprou primeiro sai primeiro, assim você terá sempre produtos com prazos de validade bons para o consumo.

Lembre-se também das preferências da família na hora das compras.

* Grãos e Cereais:

 

· farinhas (integrais, de trigo, milho, e outras);

 

· arroz integral;

 

· massas alimentícias variadas;

 

· pão (integral, mistura de cereais, centeio, de sementes, de passas, etc.);

 

· bolachas integrais e de vários cereais;

 

· quinua real;

 

· flocos de aveia;

 

· flocos de outros cereais integrais;

 

· gérmen de trigo;

 

· grãos de cereais (trigo, milho, aveia, centeio, cevada e outros);

 

· pipocas.

* Vegetais e Frutas:

 

· vegetais da época;

 

· vegetais de folha verde;

 

· tomate enlatado (massa, extrato);

 

· frutas secas;

 

· frutas da época.

 

* Leguminosas:

 

· feijão (branco, preto, encarnado, manteiga, frade, etc.);

 

· grão-de-bico;

 

· lentilha;

 

· ervilhas;

 

· leguminosas enlatadas;

 

 

* Soja e Derivados:

 

 

· PTS (Proteína Texturizada de Soja) fina e grossa;

 

· feijão de soja;

 

· salsichas de soja;

 

· hambúrgueres de soja;

 

· tofu (queijo de soja);

 

· tempeh (feijão de soja preparado de forma a tornar-se consistente).

 

 


* Oleaginosas, Sementes e Manteigas:

 

 

· oleaginosas (nozes, amêndoas, castanha-do-pará, castanha de caju, pinhões, avelãs, amendoins, pistaches);

 

 

· sementes (de gergelim ou sésamo, de abóbora, de girassol, de linhaça);

 

 

· manteiga de gergelim (tahini);

 

 

· manteiga de amendoim.

 

 

 

* Lacticínios ou Equivalentes:

 

 

· leite de soja (com ou sem sabores);

 

 

· iogurte de soja;

 

 

· sobremesas de soja.

 

 

 

 

 

 

* Gorduras e Óleos:

 

 

· azeite extra virgem;

 

 

· óleos não refinados de linhaça, soja e canola;

 

 

· pastas de soja.

 

 

 

* Temperos e Sabores:

 

 

· shoyu (molho de soja fermentado, à base de grãos de soja com cevada ou trigo);

 

 

· tamari (molho de soja, sem trigo);

 

 

· sal marinho;

 

 

· açafrão, páprica, noz moscada, pimenta, cominhos, curry, mostarda em pó;

 

 

· manjericão, orégano, salsa, coentro;

 

 

· canela, erva doce, baunilha;

 

 

· gengibre

 

 

 

* Bebidas:

 

· bebidas feitas de cereais;

 

 

· sucos de fruta e vegetais;

 

· chás de ervas e de folhas.

 

* Outros Produtos:

 

· algas secas;

 

· melado;

 

· xarope de milho;

 

· açúcar demerara ou mascavo

 

· farinha de alfarroba;

 

· tomates secos;

 

· azeitonas;

 

· conservas variadas ( milho, ervilha, etc.).

*Fonte: Bem Alimentado.com

Por Mauro Montaury Data:Jul 10, 2011 Comments :1
 
 

Dra kirstine Nolfi - Tratamento com alimentos crus.

Por Dra. Kirstine Nolfi - Famosa Médica dinamarquesa, falecida aos 66 anos em 1967, descreveu suas experiências com os alimentos vivos em uma pequena brochura traduzida para varias línguas e está disponível em português na TAPS.

Antes que me desse conta da importância dos alimentos crus, minha atitude era exatamente a mesma de outros médicos — tratava dos sintomas da doença, sem pensar na prevenção. No futuro, encontrar meios de prevenção, muito mais do que fazemos hoje, deveria ser dever da profissão médica ao invés de tentar curar quando já é tarde.

Adotei uma alimentação exclusivamente crua porque fiquei gravemente doente. Tive câncer da mama. A doença, é claro, havia sido precedida de má nutrição e maus hábitos durante doze anos de formação hospitalar.

Inicialmente, descobri um pequeno nódulo no seio direito. Cansada e sem ânimo, não prestei muita atenção ao nódulo até cinco semanas mais tarde. Descobri que estava do tamanho de um ovo de galinha. Havia crescido aderindo à pele — um sinal característico do câncer. Como médica, estava suficientemente bem informada para não querer me submeter ao tratamento geralmente usado nesses casos. Lembrei, então, de passar para uma alimentação 100% vegetariana crua.

Parti em busca da natureza.

Vivi durante algum tempo em uma pequena ilha. Tomava banhos de sol durante várias horas por dia, dormia em uma barraca e tomava banhos de mar. Alimentei-me exclusivamente de frutas e hortaliças cruas. Mais tarde, introduzi esse hábito de vida no sanatório Humlegaarden.

“Após dois meses, comecei a melhorar.

O nódulo foi regredindo e minhas forças voltaram.

Aparentemente, estava curada e me sentia muito bem.”

Após um ano de boa saúde — persuadida pelo Dr. Hindhede — tentei voltar, a título de experiência, a uma alimentação vegetariana que incluía 50% de alimentos vegetais cozidos. Não deu outra. Após alguns meses, comecei a sentir uma dor aguda no seio onde o tumor havia aderido à pele. A dor aumentou e percebi que o câncer estava crescendo novamente. O câncer voltara devido aos alimentos cozidos. Mais uma vez, voltei à alimentação crua. A dor diminuiu rapidamente e eu me senti menos cansada.

Como médica, achei que deveria usar a experiência adquirida para ajudar outras pessoas doentes. Sob minha iniciativa, foi criada uma sociedade anônima que comprou a propriedade Humlegaarden. Bem adequada ao meu propósito, ela foi adaptada como sanatório onde todos os doentes e funcionários seguiam somente a alimentação crua.

* Alimentos crus são vivos

Por que será que a alimentação 100% crua exerce um efeito tão benéfico para as pessoas que a adotam?

Em primeiro lugar, isso ocorre porque o alimento cru é um alimento vivo, tal como nos oferece a Natureza. É somente a planta, com suas finas folhas verdes abertas, que consegue absorver a luz solar e transformá-la em raízes, tubérculos, frutas e sementes. Por isso, tanto homens como animais usam as plantas para proporcionar energia solar ao seu organismo.

Chamo os alimentos crus de alimentos vivos, ao contrário dos alimentos cozidos, que considero alimentos mortos.

Devemos cuidar para que os alimentos não contenham substâncias que contrariam a química do organismo, para que os resíduos não fiquem retidos por muito tempo e apodreçam no intestino grosso. Portanto, o melhor alimento é totalmente natural — não passou por nenhum tipo de processamento.

É preciso acrescentar, o alimento vivo é muito mais fácil de digerir.

Os alimentos crus ajudam e fortalecem o organismo de todas as maneiras porque contêm enzimas, elementos vivos básicos e vitaminas que se combinam de forma natural, dissolvendo e eliminando as toxinas. Toda pessoa sensata percebe que nossa alimentação atual é muito destrutiva. É a causa mais comum e mais grave das doenças físicas e psicológicas e da degeneração constitucional do organismo.

Precisamos buscar hábitos de vida e uma alimentação mais saudáveis, se queremos viver melhor agora e no futuro. Não podemos nos contentar, fazendo concessões, quando a vida e a saúde estão em jogo. Precisamos adotar a única solução correta — uma alimentação 100% crua.

As frutas secas não são tão boas quanto as frescas.

Na primavera de 1946, recebemos algumas frutas secas (uvas-passa, tâmaras, ameixas e figos). Pensei que não faria mal incluí-las na minha alimentação, mas estava errada. Essas frutas haviam sido tratadas com produtos químicos a fim de preservá-las e dar-lhes melhor aspecto. Depois de consumi-las durante três ou quatro meses, comecei, de repente, a sentir dores violentas no tecido da mama e descobri um pequeno nódulo no seio direito, no exato lugar do câncer anterior. Voltei a comer apenas alimentos frescos e crus e o nódulo desapareceu.

Os alimentos frescos crus contêm o máximo valor nutritivo, não podendo ser aumentado nem melhorado. Esquentar, secar, armazenar, fermentar e conservar reduz e destrói o valor. As hortaliças cozidas têm pouco sabor; é preciso fazer alguma coisa para torná-las saborosas. Misturamos vários alimentos, acrescentamos sal, açúcar, condimentos e manteiga.

Também removemos o germe e o farelo do trigo, polimos o arroz, refinamos o açúcar, descascamos as frutas e as batatas e raspamos as cenouras. Carnes, peixes, ovos e queijos fornecem um grande excesso de proteína animal.

Bebidas à base de café, cacau e chá preto contêm estimulantes tóxicos. Além disso, conservamos alimentos com produtos químicos — ácido benzóico, ácido salicílico, salitre, ácido bórico e ácido sulfúrico — para que não deteriorem e tenham boa aparência. Também o uso de medicamentos está aumentando cada vez mais. Tomamos calmantes, soníferos, sedativos e laxantes — todos eles produtos tóxicos estranhos ao organismo.

* Resultado da alimentação viva

Vamos abordar por um instante a maneira como essa alimentação age sobre diversas doenças. A ação depende da idade do doente, da intoxicação, do enfraquecimento e da deterioração de sua constituição, devido a uma alimentação nociva e maus hábitos.

De forma geral, haverá um efeito curativo sobre quase todas as doenças — quer sejam adquiridas durante nossa vida ou devidas a predisposições hereditárias — se o organismo estiver razoavelmente bem e conseguir se beneficiar de uma alimentação exclusivamente crua.

Percebi, também, que os doentes que se submetem totalmente à alimentação crua perdem, aos poucos, a vontade de fumar.

Quanto mais cedo adotarmos uma alimentação vegetariana crua, mais cedo seus benefícios se farão sentir. As mulheres que adotam uma alimentação crua durante a gravidez, sentem-se melhor. O parto é rápido e quase sem dor; o bebê sadio, forte e ágil, coopera.

Os alimentos crus produzem leite bom e abundante, durante todo o primeiro ano, se a mãe continuar comendo cru. Após poucos meses, ela pode começar a dar para o bebê um complemento de frutas e hortaliças, raladas na quantidade que ele pede. Entretanto, nunca deve dar frutas e hortaliças ao mesmo tempo — sempre separadamente.

Mesmo a criança que ainda não nasceu pode ser prejudicada pela má alimentação da mãe, porque é nutrida pelo seu sangue enfraquecido. Assim, existem condições que favorecem a doença e o nenê já nasce fraco.

Após o parto, sua saúde deteriora, principalmente quando o leite materno é de qualidade e quantidade insuficientes. Dessa forma, no mundo civilizado, as crianças nascem fracas — algumas mais, outras menos — e a humanidade entra em estado de degeneração.

E quanto aos idosos ou aos doentes que adotaram essa alimentação tarde demais? O que podem esperar? Todos podem se beneficiar da alimentação vegetariana crua.

As pessoas precisam ser pacientes, mostrar energia e estar muito motivadas. Precisam, também, descansar bastante, principalmente no início. Os primeiros dias podem ser sofridos, até que estejam acostumados com essa alimentação e hábitos de vida diferentes. Logo, porém, sentirão uma melhora. O intestino funcionará regularmente, o que para muitos é um grande estímulo.

A alimentação crua exerce seu efeito benéfico sobre todas as formas de reumatismo e artrite reumática, quando essas doenças ainda não atingiram um estado muito avançado. Constatamos o efeito benéfico sobre as doenças causadas por excesso de ácido úrico, sobre a psoríase, enxaqueca, pedras na vesícula, rins e bexiga. Quase todas as doenças da pele são curadas com bastante rapidez. Queda de cabelo, seborréia e caspa desaparecem. As infecções melhoram ou são curadas.

A alimentação totalmente crua também pode beneficiar casos de câncer e de patologias em estágio terminal. Pode aliviar a dor e prolongar a vida. Quando o câncer é tratado a tempo, é possível obter uma remissão durante muitos anos. O tratamento com alimentos crus precisa ter início assim que o câncer é detectado e precisa ser seguido 100%.

Seria muito importante que os médicos adquirissem mais conhecimento nesse campo. Médicos dinamarqueses e estrangeiros ficaram por algum tempo em Humlegaarden e puseram sua experiência em prática com seus clientes.

* A alimentação viva na prática

Para concluir, algumas palavras sobre as condições práticas e o uso diário de alimentos crus. É indispensável que os alimentos sejam orgânicos. Por isso, sentimos a necessidade de introduzir uma horta orgânica.

“Da mesma forma, o solo, muito adubado com adubo químico, corre o risco de se tornar tão doente quanto o homem — com excesso de acidez, superalimentado, dele brotam plantas doentes, inadequadas para o consumo humano.”

Cerca de mil doentes passam por Humlegaarden a cada ano. Tanto os doentes como os funcionários vivem exclusivamente de alimentos não cozidos e, de acordo com nossa experiência, uma dieta de transição não é necessária.

A alimentação varia de acordo com as estações do ano e consiste de três refeições diárias. Fazemos uma refeição de frutas pela manhã e à noite e uma refeição de hortaliças ao meio-dia. Nunca misturamos frutas e hortaliças.

Se o estado dos doentes permitir, os alimentos crus são servidos inteiros; se não, são ralados pouco antes da refeição. Uma vez ralados ou cortados em pequenos pedaços, os alimentos perdem seu teor de vitaminas. Os alimentos precisam ser cuidadosamente mastigados, de preferência até que se tornem uma papa. Mesmo aqueles que forem ralados devem ser bem ensalivados.

Os oleaginosos fornecem um bom complemento. A refeição vegetal consiste de folhas verdes, raízes e tubérculos. Todas as frutas são ingeridas com casca. No caso de doenças como gastrite e úlcera gástrica, é preciso tomar cuidado no início.

Se a alimentação crua for associada a hábitos de vida saudáveis, muita coisa vai melhorar. As doenças, pouco a pouco, serão prevenidas. A obesidade se tornará uma raridade.

* A vida será alegre para as pessoas saudáveis

O trabalho doméstico vai se reduzir pela metade — e as horas de lazer adicionais serão uma fonte de alegria para todos.

Veremos mais pessoas com o corpo esbelto, o porte ereto, o andar flexível, a pele fresca, os dentes brancos e fortes, e os cabelos vigorosos.

Com o corpo saudável, nossos pensamentos negativos se transformarão em pensamentos positivos e contribuirão para o grande progresso cultural que o mundo aguarda ansiosamente.

Só então valerá a pena viver!

* Fonte: TAPS - Temas Atuais na Promoção da Saúde

Por Mauro Montaury Data:Mar 13, 2011 Comments : 9
 
 

Higienismo

Por Carolina Abranches

 

Higienismo desintoxica o organismo. A alimentação criada no Japão também promete queimar gordura

 

 

 

 

Criado no Japão, o higienismo acredita que todas as doenças são causadas pelo acúmulo de toxinas no corpo e que os micro-organismos se aproveitam da debilidade do doente.

 

A filosofia higienista preza uma dieta baseada em alimentos crus, orgânicos e livre de agrotóxicos. Ela se baseia numa reeducação alimentar, visando o bom funcionamento do organismo.

 

 

 

. A dieta higienista visa a harmonização dos alimentos e evita o consumo de frutas doces com cítricas.

 

. Carne, leite, ovos, frituras, doces, enlatados, cigarro e bebida alcoólica não são bem vindos.

 

. Liberados no cardápio estão aveia, mel, granola, açúcar mascavo, peixe, folhas verdes e escuras, frutas com casca e limão para salgar a salada e os legumes, que devem ser cozidos no vapor.

 

 

 

No higienismo, frutas são ingeridas separadamente, meia hora antes das refeições.

 

Carboidratos nunca são servidos com proteínas. Misturá-los, segundo a filosofia, faz com que o bolo alimentar demore para ser digerido, fermentando carboidratos, apodrecendo proteínas e produzindo mais toxinas.

 

“Já as saladas são bem vindas com quase tudo, exceto frutas.

A refeição higienista é composta de uma farta salada e mais uma proteína ou um carboidrato.”

 

 

 

Por não contar calorias, as quantidades dos alimentos a serem ingeridas são livres. Portanto, não há um adepto do higienismo acima do peso. O que os higienistas seguem é tomar um copo d’água ao acordar, seguido de frutas até a hora o almoço.

 

Para desintoxicar, o almoço deve vir acompanhado de um farto prato de salada com as mais variadas folhas e brotos e outro de legumes cozidos no vapor e temperados com limão.

 

À noite, um prato de sopa de legumes é bem vindo.

 

 

* Fonte: BemStar

 

 

Por Mauro Montaury Data:Mar 9, 2011 Comments : 0
 
 

Camomila: Do Jardim para o Bule

Por Dr. Mauro Montaury

 

A Camomila (Matricaria Chamomilla) pode surpreender por suas utilidades: além de ornamental, produz um chá calmante e digestivo, suaviza a pele e embeleza os cabelos.

 

Trata-se de uma das ervas mais antigas que a humanidade já utilizou. O intenso aroma despertou o interesse pela planta e antigos pesquisadores, atraídos pelo doce perfume, acabaram por descobrir várias das propriedades que tornaram a camomila tão famosa.

 

Os antigos egípcios tratavam uma doença semelhante à malária com o chá de suas flores. Ficou muito conhecido também um tipo de vinho aromatizado com flores de camomila.

 

“Na Espanha, por exemplo,

esse vinho era usado como digestivo”.

 

 
 

 

Popularmente, a planta é usada contra problemas digestivos, gases intestinais, ataque de vermes, gastrites, insônias, reumatismo, dores musculares, dores na coluna e dores ciáticas.

 

O conhecido “chazinho de camomila” é muito usado nos cuidados com os bebês, seja para acalmar as cólicas ou na higiene, limpando as crostinhas da cabeça.

 

As pequenas e delicadas flores da camomila concentram potentes óleos voláteis responsáveis pelos efeitos antiinflamatório, antiséptico, sedativo e antiespasmódico. Esses óleos atuam de duas formas:

 

. Acalmam os músculos e nervos internos (o que explica o uso em cólicas nos bebês e cólicas menstruais), e,

. Exercem um efeito emoliente sobre a pele.

“O tradicional chá de camomila é reconhecido como um relaxante e tranqüilizante natural, que ajuda a tratar problemas provocados por tensão nervosa, como insônia, dores de cabeça, etc”.

 

Na cosmética, seus poderes são conhecidos há mais de 4 mil anos.

 

O chá natural é usado para realçar o tom dourado dos cabelos louros. Em compressas, suaviza olheiras e inchaço dos olhos. O responsável por essas maravilhas é o óleo essencial da camomila, chamado azuleno - um ingrediente muito utilizado pela moderna industria cosmética.

 

A ornamental vai do jardim para o bule

 

A camomila é uma erva da família das Compostas e adapta-se praticamente a qualquer tipo de terreno. É uma planta herbácea anual que alcança, em média, de 30 a 50 cm de altura. Suas flores miúdas, semelhantes a margaridinhas brancas com o miolo amarelo, exalam um perfume delicado e enfeitam canteiros e vasos. O caule é ramificado e suas folhas bem recortadas.

 

Originária da Europa, a camomila prefere clima ameno, mas é capaz de adaptar-se bem, desde que o clima não seja muito quente.

 

* Plantio

 

Por meio de sementes, no período de abril a maio.

 

Para o cultivo em vasos ou jardineiras, recomenda-se que eles tenham pelo menos 20 cm de altura. As sementes não devem ser enterredas muito fundo, pois necessitam de luminosidade para brotar.

 

Regas: manter o solo úmido, sem encharcar e diminuir as regas no inverno.

 

Cuidados: a camomila precisa receber luz solar direta por pelo menos 5 horas diárias. Recomenda-se a adubação orgânica, mas deve-se evitar o uso de qualquer tipo de produto químico, uma vez que a erva é usada na preparação de chás.

 

Métodos naturais de controle de pragas podem ser muito úteis, no caso de suspeita de ataque de pragas.

 

Colheita: as flores, onde se concentram as propriedades medicinais da planta, devem ser colhidas no período de junho a setembro. Normalmente após a colheita é preciso fazer o replantio, pois seu ciclo de vida é anual. Para conservação das flores, deixe-as secando à sombra, em local ventilado, depois guarde-as em um recipiente de vidro bem tampado.

 

 
 

 

* Dicas de uso

 

 
 
 

 

Contra a insônia: Use flores secas de camomila para fazer travesseiros. Seu aroma delicado e suave ajuda a acalmar e diminuir a ansiedade.

 

 
 
 

 

Compressas: Para combater inflamações e inchaços dos olhos, recomenda-se aplicar compressas com o chá de camomila. Utilize um pano bem limpo, embebido no chá morno, coloque suavemente sobre os olhos.

 

Banho calmante e relaxante: Coloque um punhado de flores secas na água morna da banheira. É ideal para acalmar a agitação dos bebês e favorecer um sono tranqüilo.

 

Suavizante da pele: O óleo de camomila (encontrado nas boas farmácias de manipulação) é um ótimo suavizante para queimaduras e irritações da pele.

 

Para limpar as crostinhas da cabeça do bebê: Misture uma colher (sopa) de flores de camomila a uma xícara (café) de óleo de cozinha. Leve ao fogo, em banho-maria, por 3 horas. Coe num pano fino e esprema bem. Use embebido em algodão, passando delicadamente sobre as crostinhas.

 

Para aliviar dores: Faça o mesmo preparado explicado para as crostinhas do bebê. Aplique o óleo e cubra a região dolorida com gaze ou uma fralda de pano limpa.

 

* Curiosidade

 

Dizem que a camomila dá muita sorte e ajuda a atrair dinheiro, por isso, em tempos remotos, os jogadores costumavam lavar suas mãos com chá de camomila antes de jogos importantes.

 

* Fonte: Aroma - Vida Saudável

Por Mauro Montaury Data:Jul 9, 2010 Comments : 9